Carregando...



Saia para homens


Imagine um garoto chegando de saia no jantar da família ou entrando no ônibus: o mundo vai parar pra olhar, espantadíssimo, a "viadagem" do rapaz. Além de correr o risco de ser atacado verbalmente (ou fisicamente, até), vai ficar taxado como o "cara que usa saia" para sempre entre os familiares. Mas por que tanta distinção se os homens usam saias desde sempre?

Se você não sabe, a escolha das suas roupas diz muito sobre o tipo de pessoa que você é (principalmente o tênis, sempre olho os tênis dos outros), então é de se concluir que as pessoas esperam que você se declare "diferente" ao usar uma saia, peça de roupa que define, hoje, a separação dos gêneros sexuais. As calças há pouco tempo eram usadas apenas por homens. Tatuagens aos poucos perdem a etiquetagem de "vagabundos" e cada vez mais homens furam as duas orelhas. 


Se elementos iconográficos de gênero como esses conseguem quebrar a barreira e passam a se tornar unissex, por que não a saia? Te digo de boca cheia: porque ninguém usa! No dia que um cara no teu bairro usar, a primeira reação dos outros por muito tempo será estranhar, se defender com pensamentos ofensivos. Depois não vão se acostumar com a saia em si, mas com a saia no cara. "É estilo dele", vão dizer.

Isso quase que normaliza o constante uso dessa peça por esse moço. Sendo assim, em alguns anos, pode ser que ele inspire a coragem de outros donos de pintinhos que acham legal o uso da saia a comprarem as suas próprias. A questão crucial dessa "reinvenção" cultural de baixo porte (que usa a saia há seculos, adaptadas das túnicas como vemos na igreja católica) é coragem.


E nem fica feminino. Com uma boa combinação de peças (e, por favor, nada justo nas pernas), a saia tem o mesmo impacto visual que uma capa nas costas. Dá volume, movimento e compõe muito bem o look. 

Agora, onde comprar?

Não faço a mínima ideia de onde comprar uma saia para homens no Rio de Janeiro, muito menos em outros estados. Na internet já encontrei kilts (aquelas saias de escoceses), mas nunca um modelo mais urbano, mais descolado. A solução mais acessível (e barata) é comprar o pano e pedir pra costureira fazer. Além de sob medida, pode ser no estilo que você quiser. 


É isso que vou fazer: minhas saias. Uma experiência. Por quê? Porque acho muito bonito. Como disse, tem o mesmo peso estético que uma capa pra mim. Só que não dá pra usar capa nesse calor do Rio, né? Então vou de saia, cê sabe. 


Ela tem ganhado muito espaço com os mais fashionistas desde 2009/2010 e tenho certeza que ainda vai alcançar o público masculino popular em uns 8/10 anos. Mesmo que seja mais cedo ou tarde, não posso esperar: quero pendurada na minha arara de teto que fiz sem gastar nada antes de eu estar velho demais.


A não ser que eu fique velho que nem o titio Marc Jacobs, que é mais fã de saia masculina do que eu. 

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos