Quanto tempo sem beijar?

quanto+tempo+sem+beijar

Rodinha de amigos. Tá todo mundo contando dos últimos namoros, decepções amorosas e das noites de sexo incríveis. Quando chega a sua vez, você fica com cara de sapato velho, segurando o rocks sem gelo na mão esquerda antes de declarar: "tem mais de quatro meses que não beijo". Choque geral. Afinal, qual é o tempo aceitável pra ficar longe de outra boca?

Benefícios de manter um diário

diario

Estudos já comprovaram que manter diários ajuda na capacidade de concentração, melhora a memória e auxilia a resolução de problemas, pois a partir do momento que procuramos palavras para defini-los, estamos trabalhando com o sistema de percepções para entendê-los melhor. Além de saudável, é um divertido melhor amigo com a nossa cara e que dá pra customizar, amar e carregar contigo pra vida inteira.

TRILHA SONORA: Pra Andar de Skate

A playlist é mais rock, mais agressiva pra acompanhar boas manobras no skate de street, aquele comum que todo mundo conhece e que dei dicas pra comprar.

Andar de skate depois dos 20, 1: Como comprar skate?

como+andar+skate

Desde que postei aquelas fotos inspiradoras pra quem tava pensando em comprar skate (a.k.a. eu mesmo), não demorou muito pra eu caçar uma loja no shopping que vendesse peças separadas. Depois de intensa pesquisa sobre nomes das marcas, preços e o visual que queria pro meu coisinho, foi com a vergonha de pedir ajuda pra montar um skate na loja que sofri mais.

Homem de Ferro 3 (2013)


Não sabia o que esperar desse terceiro filme. O primeiro conseguiu ser incrível, estiloso. O segundo conseguiu ser mais bonito e engraçado, principalmente com a técnica de diálogos sobrepostos (onde todo mundo fala ao mesmo tempo, meio que no improviso, bem natural) mas perdeu pontos no roteiro. Aqui o estilo se perde um pouco, mas o diálogos ganham. E a computação gráfica arrebenta.

Assisti em 3D, apesar de não ter percebido muito do efeito no filme. Não chegou a ser um desperdício de dinheiro pela qualidade de exibição na sala 02 do UCI New York City Center, na Barra da Tijuca. Mas falando do filme em si, o que comentei sobre a perda de estilo é relacionado ao que movimentou bastante esse super-herói nos primeiros filmes e que tinha tudo a ver: a trilha sonora. 


O rock perdeu espaço para melodias mais estruturadas, orquestradas, menos selvagens mesmo em momento memoráveis que clamavam por um pouco de AC/DC. No quesito das personagens, nem tenho como elogiar mais o carisma do elenco, que brinca, diverte e se mantém fiel à proposta inicial. Até mesmo novos integrantes, como o molequinho que ajuda Tony Stark pós-atentado, é interpretado por um ator mirim de talento e simpatia ímpares. E sabemos que até um roteiro meia-boca pode ser salvo com o elenco certo.


Se não bastasse, vem esse jeito de fazer com que as personagens dialoguem como se estivessem conversando na nossa sala, de verdade. Atropelam as frases uns dos outros, parecem improvisar linhas e reagem instantaneamente às mudanças. Isso é tão simples e tão cômico que funciona mais do que bem! É diferente do padrão num estilo Homem de Ferro que só Homem de Ferro tem! Pra somar, temos uma fotografia muito boa, de ótimos filtros e nitidez.


Falando em nitidez, o que são os efeitos especiais? Fica quase fácil tocar as diversas armaduras de Tony, quase possível pisar no porto, pular em contâiners! A construção bi e tridimensionais foram deixadas em ótimas mãos, assim como a animação das armaduras e cenários. O alto orçamento foi aplicado magistralmente. 


Agora, o roteiro é meio bobo, né? Não dá pra esperar muito de um blockbuster desse, feito pra levar a massa ao cinema. É o normal de uma continuação: herói com problemas emocionais e no relacionamento (tadinha da Gwyneth Paltrow) + novo inimigo (Mandarim) + fantasmas do passado + fode tudo + aê, venci. Inteligência foi inserir no contexto um pouco do que é a teoria da conspiração, onde quase nada que o governo ou a mídia te mostram é real, 100% verídico, que somos manipulados o tempo todo numa guerra fria.


O filme é um degrau acima do que considero "bom", valendo cada mês de espera desde o segundo. É um investimento fiel ao que é a personagem dos quadrinhos e como foi adaptado para ser entendido por quem é totalmente leigo. O que me deixa triste, pois a DC/Warner não consegue fazer o mesmo com nenhum filme baseado em heróis (além do Batman do Nolan). 


Com cenas adicionais após os créditos e com a certeza de um 4º filme, teremos no mínimo uma boa década antes que decidam mexer ou refazer a franquia Homem de Ferro, que entrelaçada com a história dos Vingadores e seus outros heróis, se tornou uma relíquia singular no cinema numa teia de filmes que interagem entre si, emprestando personagens e partes da trama. Sua perfeição só não é maior por limitação cerebral de público.

Por isso, assista Os Vingadores antes de ir ao cinema pra entender o porquê dos probleminhas psicológicos do Tony. E pra saber quem é o carinha na cena pós-créditos. Você vai rir, te garanto.



Hannibal (2013) + Cronologia dos filmes


Hannibal Lecter está imortalizado como um dos vilões mais incríveis do cinema. Os filmes tiraram base da série de livros escrita por Thomas Harris. Vivido por 3 atores diferentes, a interpretação de maior destaque foi para Anthony Hopkins, e na série que leva o nome do vilão canibal, temos uma nova perspectiva, mostrando que num mundo de releituras, algumas prometem se tornar clássicos.

Como pintar skate de preto

como+pintar+skate

Sábado vou postar parte do meu diário de quem começou a andar de skate depois dos 20 anos. Gastei R$ 294,00 comprando ótimas peças (sinto no pé quando comparo com amigos que compraram de outras marcas) mas não tinha na cor que eu queria. O que fiz? Já que o skate ia arranhar mesmo, por que não pintá-lo de preto, deixando como sonhava?

VLOG: Não Sei Fazer Contatos, Só Amigos

Mais do que óleo de peroba para a cara de pau, é preciso mutilar um pouco de quem a gente é pra usar alguém como objeto, mais precisamente como escada. Foi por isso, por não saber me aproveitar dos outros ou por não saber como lamber um bom saco que larguei a carreira de ator. Porque só sei desenvolver amizades, não meros contatos.


O vídeo dessa quarta é autoexplicativo, o que me dá espaço pra dizer: acho que vou começar a postar meus covers de músicas já no final de semana. Porque não canto bem ainda e é justamente por estar aprendendo que quero manter esse registro em vídeo (que já faço, só que nunca postei). Que tal? Quer me ouvir cantando, nem que seja pra xingar?

Até você decidir, assiste aí:


Sexo virtual sem vergonha

como+fazer+sexo+virtual

Conheço um monte de gente que diz "não" pra sexo virtual mas que faz quando ninguém tá olhando. Acessam salas de bate-papo, ligam a webcam ou digitam no Skype (porque MSN é passado) quando estão sozinhas em casa numa sexta. Aí eu pergunto: por que vergonha de admitir que pratica sexo virtual? É por parecer patético e solitário demais? Vamos conversar, vem cá.

Por que amigos não podem agir como amigas?

bromance

Andar de braços enganchados no shopping, se arrumar de calcinha e sutiã ao som de Arctic Monkeys antes de ir pra festa, ir ao banheiro juntas pra fofocar sobre as pessoas na mesa e tirar fotos cheias de estilo e livres de amarras machistas: eu-invejo-a-amizade-entre-garotas. Por que nós, meninos, não podemos agir da mesma forma? Por que temos de ser tão frios, intocáveis?

Para o 1º Emprego, Parte 2 - Onde Procurar e Como Escolher


Decida se você quer um emprego ou carreira. Às vezes, uma carreira tem funcionalidade de emprego e um emprego acaba se tornando uma carreira, mas definir um objetivo te ajuda a definir os melhores locais de busca e quais fatores influenciarão na sua escolha. Caso contrário, de que vai adiantar você se formar em design gráfico se vai trabalhar numa padaria queimando rosca?

De Repente, Califórnia (2007)


Há quem diga que a história é conto de fadas, pouco realista. A crítica chegou a apontar como o "The O.C. gay". Acho que De Repente, Califórnia (Shelter, no original) vai muito além dessas características. É um dos filmes românticos mais bonitos que já vi, fora do clichê, e mistura trilha sonora indie, produção indie, surf, skate, literatura e grafite. Meu favorito instantâneo.

Nem me lembro quando foi a primeira vez que assisti a esse filme, mas foi de cara que ele ganhou lugar especial no meu Top 5. É a história de como Zach (garoto pobre da Califórnia, filho de pai detonado pela perda da mãe, com irmã que teve filho cedo e não tem a menor vocação pra ser mãe e que fez com que Zach se tornasse o pai do menino, impedindo-o de viver a própria vida) conhece Shaun (escritor complexado, irmão mais velho de seu melhor amigo Gabe, ambos filhos de família rica).

Shane tem certa má fama por ser homossexual assumido, mas Zach o conhece desde que era pequeno e, sem querer, passam a surfar e sair juntos depois de anos, quando Shaun volta pra casa depois de um relacionamento destruído. A companhia de Shaun é o que ajuda Zach a sentir menos o peso de uma vida cheias de responsabilidades cedo, quando seu sonho é ir para a faculdade de artes que se torna inalcançável quando ele se vê como a âncora da família, o cara que carrega os problemas de todos. Principalmente quando ama tanto o sobrinho.

Rola um beijo entre Shaun e Zach e tudo muda. Aqueles questionamentos: "o que eu tô sentindo?", "por que algo tão errado é tão bom?", "essa é a primeira vez que me sinto atraído por um cara?" e assim Zach precisa encarar uma nova realidade, tendo de buscar até como artista uma nova perspectiva.

Apesar de ter essa carga de garoto-pobre-cheio-de-problemas-socorro, a narrativa é muito leve, suave. Ela não força você a sentir pena de Zach. Só te mostra o que ele passa, a rotina como é a de todo mundo que tem problemas de quais não consegue fugir. Por ser de produção independente, De Repente, Califórnia não é encaixotado em regrinhas de grandes produções. É espontâneo e sincero.

O romance dos dois, cara, é a coisa mais linda do universo! Se não fosse pelos questionamentos típicos, daria pra esquecer que são dois caras se relacionando. São seres humanos, são cuidadosos, se gostam de maneira muito madura. Talvez daí tenha vindo essa ideia de que é "pouco realista". Acho o oposto. É algo que acontece pra uma a cada mil pessoas, mas acontece. 

Diferente dos filmes que retratam romance entre homens, esse aqui é muito tranquilo quando aborda sexo. O máximo de nudez é o mesmo na hora de surfar: falta de camisa. E nunca em excesso. Sem gemidos, sem constrangimento se estiver assistindo com a família, sem micão. A trilha sonora in-crí-vel (digna de The O.C., por isso a comparação) traz artistas e bandas independentes características do estilo praiano de viver.

Vou repetir: a estética é linda! Tem cara de indie, jeitão californiano, skate, romance e, mano, são dois caras! Eu ficaria tão feliz se produzissem mais filmes que falassem de gays fora dos arquétipos e dramas que já conhecemos e mais dentro da possibilidade de algo que pudesse passar na Sessão da Tarde ao invés do Corujão, que pudéssemos assistir com nossos irmãos, pais e sobrinhos! 

Por isso, não menospreze Shelter. Ame Shelter. Sua simplicidade e inocência são suas maiores qualidades quando, pra muita gente, são seus maiores defeitos. O foco fica por conta da possibilidade de dois homens encontrarem em algo em comum a chance para serem felizes e, por que não, desenvolverem uma família, uma vida, uma história juntos. É mais do que qualquer outro filme do gênero ofereceu sem ter de deixar metade do elenco pelado.

Tire a prova real: assista hoje!

Estilo Xamânico ou Native


O estilo "native" (expressão vinda de como os gringos chamavam os índios nativos dos Estados Unidos) ou xamânico é caracterizado pelo uso de formas geométricas, representações de animais e símbolos que representam forças da natureza e todos os seus ciclos. Nesse post falarei de como isso se aplica na moda, na decoração e no estilo de viver. Vem que a viagem é psicodélica.

Antes de mais nada, não adianta se encher do grafismo desse estilo se em sua vida você não tem o menor respeito pela natureza. Entender que as forças dela são maiores que as dos homens e que todos os seres vivos que compartilham a Terra se unem por teias invisíveis, é personificar nesse estilo uma verdade.

Não precisa se tornar xamã, mas acredito que se você se encher de coisas do tipo e jogar latinha de refrigerante pela janela do carro ou chutar seu cachorrinho só vai te transformar num poser. E não tem nada pior do que um poser, que é uma pessoa que diz ser algo pra impressionar as pessoas quando, na verdade, é outra, muito mais patética. 

O ESTILO DE VIDA

Xamãs são identificados por seus conhecimentos de cura, dos processos naturais e, principalmente, por seus poderes de pegar "emprestado" as capacidades dos filhos da natureza, entre eles animais e eventos climáticos. Muitas vertentes de "bruxaria moderna" se aproveitam da veia xamânica pra acessar energias selvagens das quais nós, habitantes de cidades, perdemos com o passar dos séculos.


Independente do lado místico acerca dessa figura, o xamã é um grande sábio, um índio que por tradução literal "enxerga no escuro". É uma pessoa que se enxerga como parte de um ciclo gigantesco onde toda ação gera reação. Sendo assim, é muito cuidadoso e reflexivo antes de tomar qualquer atitude. 

NA MODA

O estilo native american se assemelha muito com o estilo hippie, com peças leves e com cara de "gente que ama a paz", diferenciado por estampas geométricas e tribais em tons de coloridos sóbrios ou de diferentes tons de marrom. Bolsas de couro (sintético, por favor) com babadinhos sobrepostos, sandálias, headbands de palha e muitas, muitas penas! Isso sem falar nas estampas de corujas, lobos, veados, búfalos, águias, ursos e blá, blá, blá! Casa bem pra quem curte uma pegada mais rocker também.




Outro acessório que não chega a montar um look pra andar na rua, mas que fica muito legal numa social com essa temática (vou dar dicas pra uma festa desse tipo depois que ensinar como fazer uma tenda) é o cocar, ou o indian headdress. É difícil de achar pronto, sai caro e geralmente colocam na parede pra decorar. Existem variações de cocares pra cada região, mas a dita nesse post segue o estilo "clássico" mostrado abaixo:



NA DECORAÇÃO

Apanhadores de sonhos, imagens de lobos, crânios de animais que morreram de forma natural, cangas penduradas no teto, móveis em madeira rústica, totens com a mesma proposta de uma carranca brasileira (pra afastar maus espíritos) e, meu objeto favorito e sonho de consumo, uma tee pee, a famosa tenda indígena afunilada pra cima.





TATUAGENS

Uma observação importante é que o estilo gráfico asteca se confunde bastante com as geometrias xamânicas. Por isso, garimpe lojas de vendedores chilenos, sempre tem coisa legal pra decorar ou vestir, incluindo bolsas geralmente num bom preço, pois são produtos artesanais (até baratos, se quer saber).

Aqui deixo tatuagens pra apresentar esses estilos gráficos muito semelhantes, que casam muito bem.


Domingo vou postar uma trilha sonora inspiradora, pra que você entre nesse universo de cabeça. Independente de gostar ou não do estilo, seria legal praticar a filosofia do respeito, então comece respeitando o espaço em que você vive: nada de lixo na rua, nada de crueldade com os outros! 

Toda ação gera reação. Tudo que você faz, volta pra você.

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

VLOG: Como Arranjar Namorado (a), Parte 1: Onde

Não é desespero. Chega uma hora que a gente cansa dos mesmos aspectos em todos os mesmos lugares cheios das mesmas pessoas: validade tem vida curta. Relacionamentos com gente que não sabe o que quer, traição, falta de respeito e, o pior, pouca coisa em comum a ponto de montar algo incrível. Por isso fiz esse vídeo, pra compartilhar o que funcionou comigo.


É meio estranho um solteiro falar sobre como conseguir namorado, né? Se achou que sim, se pergunte o porquê de VOCÊ estar solteiro. Se responder essa pergunta sinceramente pode ajudar a te situar no que você realmente procura. No meu caso, tô solteiro porque espero um tipo de pessoa. Não numa regrinha boba do Excel, mas alguém que faça meus pelos se arrepiarem e que eu tenha vontade de dividir uma boa saliva respeitosa.

Porque se eu escolher alguém porque tenho medo de ficar sozinho ou porque não quero lidar com minha própria companhia, estaria me suicidando aos poucos.

Dá play.



Últimos Artigos