Carregando...



10 álbuns que não param de tocar no meu iTunes

melhores+albuns+itunes

Nunca falei de música numa quarta, mas resolvi abrir uma exceção. Sou o tipo de cara que quando gosta muito de uma canção, ouve o álbum inteiro. Sendo assim, sou dono de 48 GB em 10.500 músicas, de Araketu à South, bandinha independente que ninguém nunca ouviu falar. Não ouço artistas, ouço música. Os 10 álbuns que trago hoje são obras-primas pra mim.

Pra gerar suspense, vou contar do número 10 ao 1, sendo que 10 é o álbum que mesmo no repeat toca menos que o número 1, o mais rodado no meu iTunes. E vou deixar minha faixa preferida de cada um pra você ter uma prévia, ok? Vamos?

10. BEST COAST — CRAZY FOR YOU (2010)


Best Coast é uma dessas bandas impossíveis de não se apaixonar. Seu gênero é um surf pop rock, com cheiro independente e vocal maravilhoso, além de letras que falam de território praieiro, amor e dilemas quase que aborrecentes quando se trata de relacionamentos. É incrível do começo ao fim, melhor álbum do grupo.



9. KEANE — UNDER THE IRON SEA (2006)


Under The Iron Sea é o álbum que a banda Keane jamais vai conseguir repetir a fórmula. Considero esse o melhor disco da banda, que passava por um momento obscuro que ficou registrado aqui, enquanto os outros álbuns se aproveitam de melodias e letras mais positivas. Aqui a melancolia é quem dita a vibe, mas que mesmo na tristeza é preciso tentar de novo. Não dá pra saber o futuro, mas é possível construir algo interessante das cinzas.



8. MARINA AND THE DIAMONDS — ELECTRA HEART (2012)


O poder da mulher pela mulher! Electra Heart, da bombadíssima Marina and The Diamonds, é um daqueles álbuns que contam historinhas em cada música, que precisa ser escutado na ordem que foi planejado pelo menos nas primeiras vezes. Cada canção é um aspecto diferente da personagem Electra: a vadia, a sonhadora, a apaixonada, a destruidora de lares e por aí vai. Se nunca ouviu Marina, tá na hora! É bem animado, prometo!



7. ROGUE WAVE — PERMALIGHT (2010)


Permalight veio depois que a banda perdeu o baixista/tecladista e segundo vocal. Assim que o cara saiu da banda, morreu num incêndio, e esse álbum é um grito de superação. Ao invés de ser triste, é animado, é californiano e me lembra The O.C. toda vez que ouço. É outra obra de arte suprema que mesmo uma banda maravilhosa como Rogue Wave jamais vai conseguir repetir. O álbum novo deles saiu no dia 4 de junho, só pra avisar!



6. FRANK OCEAN — channel ORANGE (2012)


Assumiu que seu primeiro amor foi um homem e ganhou o Grammy de melhor álbum contemporâneo urbano, tirando o título de Chris Brown. É no cenário da "black music" que Frank Ocean se destacou pela ousadia, pela coragem. channel ORANGE é o sucessor de nostalgia, ULTRA e tão bom quanto. É outro álbum que você não consegue parar de ouvir no meio, precisando repetir e repetir até não aguentar mais a mesma coisa (mesmo que vá ouvir de novo alguns minutos depois). 



5. BAND OF HORSES — CEASE TO BEGIN (2007)


Os caipiras lindos da Band of Horses parecem ter se encontrado em perfeita harmonia em Cease to Begin, coisa que nunca consegui perceber nos outros álbuns, no mais antigo ou mais novo. Cease to Begin é melancólico, apaixonante, produzido pra te fazer chorar não só pela inspiração das canções, mas pela beleza invejável da mistura de instrumentos e vocal. Palmas eternas. 



4. ELLIE GOULDING — HALCYON (2012)


A ex-namorada do Skrillex e atual de Calvin Harris, Ellie Goulding também se achou nesse álbum. Misturando pop com eletrônico e um pouco dos ares independentes dos vocais indie, Halcyon é um disco que não poupa esforços pra se tornar um dos favoritos na arte de "repetir mil vezes". Não só pela técnica vocal de Ellie, mas pela produção chiclete e trejeitos viciantes.



3. DEATH CAB FOR CUTIE — PLANS (2005)


Plans-é-o-álbum-perfeito-da-banda-mais-perfeita-do-mundo. Só não tá em primeiro lugar porque não posso ficar ouvindo sempre, pois me enche de saudade de um tempo que já passou. Death Cab marcou os melhores e piores momentos da minha adolescência, quando a conheci assistindo The O.C. (Seth Cohen, obrigado!) e não consegui largar desde então. Apesar de outros álbuns serem incríveis, é em Plans que parecem ter jogado todo o empenho e ter dado a sorte de ter criado a perfeição. Repito: a perfeição. Mas é minha opinião. Ouça por você mesmo.



2. FLORENCE + THE MACHINE — CEREMONIALS (2011)


Demônios, cemitérios, exorcismo, espíritos, musa de cabelo ruivo e talento vocal absurdo: essa é a Florence em Ceremonials. Falando assim parece álbum gótico, né? Nem é. É historinha, um conto com inspirações muito estilosas e bastante pop, se quer saber. É óbvio que você já ouviu várias canções desse álbum, como Never Let Me Go ou Shake It Out, mas tem uma que você precisa entender acima de tudo.



1. LANA DEL REY — BORN TO DIE (2012)


O álbum mais tocado da história do meu iTunes está aqui! Lana Del Rey, no álbum de estreia, conseguiu o que nenhum dos outros artistas conseguiu antes: imprimir estilo visual às canções. Associo suas músicas a romances perigosos e autodestrutivos, viagens de moto pelo deserto e rebeldia sem (muita) causa. Video Games foi o que lançou a garota da boca de pato, mas foi só a pontinha do iceberg. Ela é mais do que esse single e, acredite, muito mais genial.


Lembrando: é minha opinião. Tudo que escrevi é baseado não só na qualidade técnica, mas no que me faz sentir, que é pessoal e intransferível, já que cada música marcou uma época da minha vida que só eu, obviamente, tive. Mesmo assim, recomendo todos! E ouça de coração aberto!

As músicas podem até não ser novas, mas a sensação sempre pode.

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos