Carregando...



Efeitos das manifestações e seu significado

manifesto

Todo mundo já sabe o que tá rolando no Rio, em outros estados e até fora do país. Já sabemos que não é só pela caralha de 20 centavos. Me peguei discutindo com a minha mãe, que de certa forma defendia a atitude da polícia e caçava piolhos pra repreender manifestantes. Não foi intencional. Ela aprendeu a categorizar inconformidade como rebeldia. Aprendeu a aceitar.

Quando eu disse que ia pra manifestação de segunda, minha mãe fez o que eu esperava: chantagem emocional. Daquelas onde fecha a cara, diz que é perigoso e planta a dúvida na cabeça dizendo "você é adulto, você quem sabe, mas não vou cuidar dos teus machucados". O que nunca aconteceu. Não sou o tipo de garoto que se machuca e corre por socorro. Como ela disse, sim, sou adulto. E a partir do momento que sou adulto pra cair numa manifestação, sou adulto pra lidar com suas consequências depois.

Depois veio me perguntar o porquê de eu querer ir. Disse que achava o movimento incrível, mas que as mudanças seriam poucas ou nulas. Foi aí que tive de explicar o que essa marcha significa pra mim: progresso. Sabemos que somos ovelhas nas mãos de pastores muito bem organizados, principalmente pra tomar o que é nosso e nos transformar em escravos assalariados. O navio negreiro da modernidade mistura brancos e pretos e funciona sobre um monte de rodas. O pior é que a gente paga quase R$ 3 pra entrar nele.

Pra calar a boca da galera, o governo vai acabar fazendo um agrado, como abaixar o preço da passagem ou algo do tipo, só pra termos uma falsa sensação de poder. Esse efeito imediato não é o real objetivo ou a real consequências dessas manifestações, na minha opinião. Como falei, é o progresso, o resultado é gradual. É um movimento de inspiração para que a nova geração de políticos, policiais e cidadãos passem a não se acomodar desde pequenos.

Que passem a trabalhar com um pouco mais de empatia e justiça, na real tentativa de beneficiar seus iguais, não importando a classe social em que se encontram (porque se você não faz parte do 1% da população mundial com dinheiro suficiente pra comprar ilhas no Pacífico, você faz parte da massa, meu bem). As manifestações não são para mudanças ideológicas, mas de simples bom senso. É o alfinete no banco confortável do desconforto, que nos acostumamos e aceitar. 

Por isso disse pra minha mãe que resultados imediatos são pra mascarar nossa voz, nossa raiva, nossa tristeza. É doce pra fazer criancinha parar de berrar. A diferença é que as crianças do futuro, filhos da Revolta do Vinagre, vão continuar berrando e não vão querer só um doce pra mudar a situação. Eles irão à luta. Esse monte de coisas que tô falando parece sair de uma utopia que só minha mente pode criar, né? Só que os efeitos das manifestações e seus ecos talvez tenham de reverberar por algumas décadas antes de entrar no sangue. Antes de firmar no DNA cultural.

É por isso que o governo tá com cagaço. Não é pela Copa ou porque a galera tá fazendo churrasco com prédio """"público"""". É porque ovelhinha tá querendo virar lobo. Quando isso acontece, os pastores enviam seus cães (olá, seu policial) pra conter as bichanas em mutação. Mas não adianta, só piora. Quanto mais desrespeito, mais a ovelha vira lobisomem. O mais legal desse tipo de criatura é que ela é bem difícil de matar: é com bala de prata ou cortando a cabeça fora. 


Por isso, espero que vejamos uma geração de novos pensadores, grandes professores, políticos e oficiais de polícia difíceis de corromper. Que vejamos uma geração de lobisomens incrivelmente difíceis de exterminar, de ideias virais e honestas. Do outro lado do Rio, pude ouvir os passos de quem tava no Centro. O mundo inteiro pôde ouvir o tal gigante despertar, a tal primavera acontecer. Quis chorar de orgulho pois é algo que, de certa forma, esperei por muitos anos. 

Mas paciência é mais necessária que nunca. Nada de ansiedade. Como a geração de mais velhos ainda é presa a uma só fonte de informação (TV), eles ainda precisarão perecer para que a ideia de uma nova consciência e juventude floresça. A real Primavera Brasileira acontecerá quando esses garotos que estão na rua sentarem no Congresso, quando ensinarem o mapa do Brasil na escola. Só que acabamos de entrar no inverno e quanto mais unidos estivermos, mais nos aqueceremos contra o frio.

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos