Carregando...



Como se amar mais, 2: Autodepreciação e comparações

como+me+amar_2

Na introdução ao guia COMO SE AMAR MAIS falei sobre quando nos comparamos injustamente e nos odiamos por isso. Não tô dizendo pra virar hippie e cagar pra própria imagem, apenas pra tentar mudar seu comparativo: quero ser galã da Malhação pra encher meu ego superficialmente ou quero me sentir muito bem a ponto de não esquentar com a opinião dos outros manés?

Se quer ser galã da Malhação, pode parar por aí: não é pra todo mundo! Nossa sociedade assimilou que o lindo é o saradíssimo, quase sempre branquíssimo, tem olhos claríssimos, cabelos loiríssimos e toda essa gozação engravidativa que a gente conhecer de cor. VOCÊ NÃO PODE SER GALÃ SE VOCÊ NÃO NASCEU NESSAS REGRAS, beijo, muito obrigado. Agora que você comeu um pouco de realidade, vamos desenvolver...

Mesmo um galã não agrada todo mundo fisicamente, o que indica que não dá pra ser lindo pra geral. Mas... vem cá, por que você quer de agradar o mundo inteiro?! É seu ego falando, sabia? Com certeza sua vida tá indo mal em algum aspecto (falta de dinheiro, carência, sensação de estagnação) e passa a acreditar que "se eu ficar bonito, tudo será fácil". As pessoas vão te desejar, vai poder escolher quem quiser na balada, vai humilhar quem te deu um "não" no passado...

Só que a realidade é outra! Não dá pra ficar lindo de um dia pro outro! Tendo esse tipo de beleza como objetivo, você passa a odiar tudo em si que o impede de alcança-lo. Não gosta da cor da própria pele, quer alisar o cabelo, coloca lentes 24 horas por dia, e vai ficando pior pois nunca estará satisfeito enquanto não puder ter aquela aparência que é impossível conseguir sem ter de nascer de novo! Sempre vai achar algo em si pra reclamar!

Isso quebra a autoimagem confortável, destrói a única característica que pode te fazer maior ao lidar com outras pessoas: autoconfiança! Se repete para o espelho que se acha feio ou que não quer sair de casa por causa das espinhas, você fica com aparência mais patética mesmo. Gente que se olha no espelho e diz "enquanto não fico magro, vou aproveitando assim mesmo porque a vida é curta e prefiro que me amem do jeito que sou do que apenas pelo que 'aparento" é cheia de confiança!

São aquelas "que não são bonitas, mas tem um charme", que entram no ônibus com fones de ouvido e sorriem para todo mundo, que parecem não se importar com a falta ou excesso de olhares. São as pessoas que andam no shopping com passos firmes, olhos presos ao caminho que estão fazendo, sempre mirando a frente. É gente que sabe que gregos e troianos existem, mas acima de todos, só precisa agradar a si!

Usam roupas que querem, são chamados de patéticos, sem noção, e são alvos de críticas diversas. Mas sempre vai ter alguém admirando essa coragem. Coragem pra parar de sentir pena de si, de querer atenção ou aprovação superficial de fora! Sem comparações injustas ou disputas de ego pra saber qual dos amigos possui o melhor cabelo: cada um é cada e ponto! Os genes abençoaram uns humanos e deixaram outros na mão, mas mesmo assim, pela opinião da quem? Da Globo? Da HBO?


Quando se apreciar em todos seus momentos (com ou sem espinhas, com ou sem cabelo, com ou sem cor de pele), vai entender que beleza é só complemento de algo maior: o brilho pessoal, o magnetismo que faz com que as pessoas fiquem ao teu redor. Não pra alimentar a vaidade, mas complementar a rotina, expandir tua cultura, trabalhar com sua satisfação.

Com confiança lá no alto (sem soberba), sua estética perfeita será independente dos humores de sua aparência. Esse negócio de beleza interior é verdade porque ninguém aguenta gente chata, gente reclamona. Você tem algo positivo, sim! Se são os olhos ou o papo, você quem vai saber! Aproveite-as primeiro, antes de querer distribuir pra todo mundo ver e dar joinha. Beleza é perecível, acaba com o passar dos anos. Brilho pessoal só aumenta.


GUIA COMO SE AMAR MAIS

— Parte 1 - Introdução
— Parte 2 - Autodepreciação e Comparações
Parte 3 - Raiva e Projeções


FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos