Carregando...



Quando amizade vira competição

Leia mais autoajuda

Antes você corria pra contar tudo pro melhor amigo. Toda tristeza, alegria, tudo era misturado no cérebro e saía da boca como diarreia verbal: isso é confiança. Chega um tempo em que você se vê medindo palavras, pensando se deve ou não apresentar outros amigos — ou o namorado — pra quem antes era seu maior confidente. O que aconteceu com a amizade?

Se pensa bastante antes de juntar seu melhor amigo a um grupo de pessoas, considere a causa: quem você tá querendo afastar de quem? Ou você que tá buscando aprovação demais? Conseguimos ser bastante territoriais quando se trata de círculos sociais e uma "invasão" deles pode despertar nosso lado separador: fulano aqui, ciclano ali e fica assim até eu dizer o contrário. Alguns se sentem confortáveis com essas barreiras, de manter a vida profissional com amigos profissionais e a pessoal atada aos pessoais.


Quando a razão é medo de que esse melhor amigo roube a atenção, te faça pagar mico ou apresente facetas da personalidade que você gostaria de esconder, pode estar surgindo um modelo de competição na amizade que, eventualmente, se tornará mais fria até quebrar por inteira. O que é diferente de compatibilidade, quando o afastamento é natural a partir do momento em que os dois entendem que mudaram e que a rotina do relacionamento não consegue se sustentar como antes.

Acontece de você ter esse melhor amigo, gostar da companhia, dos papos, dos games, mas não conseguir deixar o pensamento de "ele vai roubar meu namorado" desaparecer. Não pelo medo de perder em si, mas pelo mal estar que pensar algo assim é capaz de gerar. Piora quando essa insegurança está com seu melhor amigo também, que deixa de te apresentar ao outro lado da vida por precaução. Aí, ambos estão com as facas nas mãos.


■ MAS PRECAUÇÃO DE QUÊ?

Seu amigo já mostrou comportamentos suspeitos? Já tentou te queimar em público soltando piadas pra envergonhar? Já tentou te desmascarar na frente dos outros ou apontou defeitos? Se sim, seu subconsciente acumula experiências e desenvolve "anticorpos psicológicos" à imagem de seu amigo. 


■ POR QUE ELE FAZ ISSO COMIGO?

In-se-gu-ran-ça. Gente bem resolvida não inveja nada dos outros, só admira e se inspira. Gente que sabe o que quer não precisa diminuir ninguém pra se sentir melhor. Só pessoas frustradas e preguiçosas o fazem. A não ser que você tenha dado motivos pro seu melhor amigo ter agido como agiu, sendo assim...


■ AGORA A CULPA É MINHA?!

Nos acostumamos a pontar antes de nos olharmos no espelho, né? Já parou pra imaginar se esse comportamento safadinho não é uma reação a algo que você fez? Será que nunca tentou fazer as mesmas coisas que esse amigo está fazendo contigo, mesmo sem querer? Acontece! Ele também pode estar fazendo sem querer, sem intenção real de sacanear. 


COMO RESOLVER?

■ Franqueza

Sentando e conversando sem papas na língua. Quando incentivo honestidade pura, não falo de grosseria ou de partir pra discussão. Na verdade, se tiver a mínima vontade de levantar a voz, melhor deixar a conversa pra outra hora.


■ Caderno de Reflexões

Caso discutam, discutam, e não chegam a lugar algum, anote num caderninho tudo que seu amigo fizer de errado. Pra uma terapia em grupo, proponha que ele faça o mesmo. Numa determinada data, sentem-se e troquem cadernos. Deixe o outro ler e preste atenção no que ele escreveu. Depois esclareçam e entendam o porquê daqueles tópicos estarem ali e procurem soluções juntos para resolvê-los. 

Aceitem que cada um é cada um, com qualidades e defeitos únicos! Não precisa ter disputa! Cada um vai atrair certo perfil de pessoa, cada um vai ser gostado de maneira diferente por cada pessoa. Sem inveja, sem ego! Brigar por vaidade não vale a pena, pois saco vazio não para em pé e o que a gente mostra só serve pra atrair a atenção; o que vem depois é que são elas, baseado em como nosso caráter foi estruturado. 


Nenhuma dessas soluções são mágicas e não podem salvar um relacionamento baseado em mentiras. Pra mim, amizade, namoro e convívio familiar precisam ser construídos sobre alicerces de sinceridade, verdadeiro carinho, vontade de estar e vontade de construir algo junto para ser compartilhado. Quem não sabe compartilhar, não sabe ser amigo. Quem não sabe ouvir, não sabe ser amigo também. 

Se tiverem a menor vontade de se abraçarem e conversarem sem preocupação quanto ao que o outro tá planejando, é um começo: talvez essas dicas sirvam pra você. Caso contrário, dê um beijo, um abraço e parta pra conseguir gente mais sincera, mesmo que demore. A vida é muito curta pra ser desperdiçada com quem só oferece migalha. 

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos