10 crueldades pra fazer antes de morrer (com GIFs)

crueldade

Maniqueísmo divide o mundo em duas categorias: bem e mal. Ninguém é totalmente bom ou ruim, pois "bom" e "ruim" podem variar conforme noções morais de cada um. Dentro de uma ideia de respeito e convivência, as 10 ideias que trago hoje são péssimas, não deveriam ser seguidas mesmo! Mas vem cá: pelo menos uma vez na vida, a gente deveria fazer algo ruim.

10 músicas que dizem "faça o que quiser com sua vida"


Nada melhor do que ser dono do próprio narigão! Pra fechar a semana do aniversário d'um ano do DDPP (e o meu), o estágio final do amadurecimento: aceitar que nossas escolhas resultam em consequências. Por isso, trouxe essa playlist com 10 músicas pra inspirar a fazer o que quiser da sua rotina. Desde, é claro, que não prejudique ninguém no percurso. Hell, yeah!





FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Estilo Peter Pan: 2 looks + 4 álbuns + 4 filmes + 4 atitudes



Com o aniversário do DDPP no último domingo (completamos um ano!), prometi que essa semana teria como tema "complexos de crescimento". Por isso o post de estilo dessa quinta será direcionado à juventude. Não pro lado "live fast, die young". Tô falando de uma juventude que busca algo pra acreditar, que caça esperanças como Bob Esponja caça águas-vivas. Músicas, filmes, comportamento e expressão!


Estilo Peter Pan: roupas

ELES

Minha concepção de Peter Pan na atualidade é de um moleque-Tumblr, daqueles que usam piercings, manda dedo pra câmera analógica e usa beanie até no calor. Por isso, escolhi peças bem básicas, lisonas, pra pincelar o que acho maneiro numa adaptação livre. 

 1  A camisa cinza é sóbria, casando bem com componentes coloridos como o beanie (4) e o moletom (5). 

 2  O cordão tem detalhe náutico/navy, pois na Terra do Nunca temos inspirações indígenas, de piratas, remetendo a períodos de aventura e exploração. Qualquer peça nesse estilo serve, inclusive caveiras. 

 3  A calça marronzinha, justa sem exageros, combina com a botinha (6) e dá cara de descoladinho. Tudo no diminutivo. 

 4  O beanie (gorro) laranja é inspirado na cor de cabelo do Peter (mesmo que muitos digam que é castanho, vejo como ruivo, desculpa). E combina com verde caso fique frio. Pra quem tem pele negra, cai extremamente melhor.

 5  O moletom de capuz mantém aquela sobriedade num tom menos "divertido". Não é pra amadurecer o resto, mas pra trazer esse ar blasé que os caras do Tumblr sempre estampam nas fotografias incríveis. 

 6  A botinha é fina e não precisa do solado claro (apesar de ficar maneiro). É pra apagar guimba de cigarro. Ou não.


ELAS

Pras garotas, mixei Peter + Wendy + safari urbano. As cores continuam sérias sem encanarem o jogo de peças, então:

 7  A blusona leve contrasta com o shortinho (10) e dá movimento. Tipo fada, tipo Sininho, mas romântica que nem a Wendy.

 8  O cordão pode ter detalhes em pena, navy ou étnicos.

 9  Óculos meio gatinha, arredondados, em corres terrosas pra emoldurar o rosto e tonalizar a paleta. Se a pele for mais escura, parta para nude.

10 O short curto e reto casa com a camisa bege se ficar num tom de verde como esse musgo. 

11 A bolsa-carteiro vintage é pra dar aquele charme indie, pra carregar a Olympus Trip 35.

12 Tenho visto muitas garotas torcerem o nariz para os velhos All Star. Talvez por lembrar muito da adolescência no melhor estilo poser de Avril Lavigne. Nesse caso, dá pra substituir por sapatilhas ou botinhas marrons. Só digo que sou fã dos All Star.


Estilo Peter Pan: música

13 WAKE UP, 2013 YOUNGBLOOD HAWKE
Alegria é a palavra que define o álbum de estréia da banda Youngblood Hawke, de Los Angeles. Os conheci no 8tracks pouco antes de lançarem essa delícia. Toca em toda social, sempre pra levantar. Ouça We Come Running

14 YOUTH & YOUNG MANHOOD, 2003 — KINGS OF LEON
Esse também é o CD de estréia da Kings of Leon, com ar mais rock, letras ácidas e clássicos amáveis. Esses caras transitam bastante entre a imagem de adultos e a de adolescentes irresponsáveis quando saem pra se divertir nas composições joviais. Ouça Molly's Chamber.

15 NATIVE, 2013 — ONEREPUBLIC
Depois do mediano Waking Up, esse é o balanço ideal de pop que OneRepublic tava procurando. Native é um álbum raso, sobre novas filosofias de vida, mensagens positivas sobre o que é importante de verdade pra cada pessoa e a necessidade de retornarmos às origens da alma: somos humanos, somos parte de tudo. Inclusive do pop. Uma delícia. Ouça Feel Again.

16 PARA OS DISCÍPULOS DE PETER PAN, 2013 — vários artistas
Não poderia faltar o mix da juventude eterna aqui do site, né? Tem MGMT, Avril, Glee, Keane e até Nicki Minaj! Só letras sobre ser jovem! Tô trabalhando na parte 2, então espere só um pouquinho. Enquanto isso, ouça aqui.




17 PETER PAN, 1953
Peter Pan é o espírito da juventude, a essência. Uma lenda maneira num filme infantil que dá pra interpretar de formas bem adultas. Indispensável pra qualquer um que acredita na possibilidade de uma vida melhor, de uma adultice melhor. 

18 AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL, 2012
Tocante, sincero e muito bem produzido, o sucesso que conta com Emma Watson no elenco, é outra escolha ideal pra colocar o estilo Peter Pan na parede. Fala de amizades, transformações e traumas. Escrevi sobre esse filme aqui no site

19 JOVENS ADULTOS, 2011
Outro que já foi indicado aqui no DDPP tem roteiro de Diablo Cody (de Juno e Garota Infernal) e Charlize Theron como protagonista. Fala sobre aquilo que a gente conversou na Síndrome de Peter Pan: não quero ser babaca, se tornar adulto frustrado. Leia mais aqui.

20 ONDE VIVEM OS MONSTROS, 2009
Baseado num livro infantil, conta a história de um menino triste que vai parar num mundo dentro de sua mente onde os monstros são aspectos de sua própria personalidade. É lá que aprende valores, a lidar com o medo e aceitar que mudanças podem vir tanto para fazer bem quanto para destruir algo que nos apegamos. É questão de saber dar tchau. Lindo demais.


Estilo Peter Pan: atitudes

A primeira atitude é: faça o que você sempre quis mas morre de vergonha! Aos 20 anos, decidi que começaria a andar de skate. A vibe rendeu esse pequeno guia pra te inspirar também!

Também quis furar a orelha, mas minha mão não deixava. Influência d'Os Garotos Perdidos. Aos vinte, furei na farmácia mesmo. E ainda preparei esse post pra você que pensa em se arriscar.

E se a Síndrome de Peter Pan tiver um lado positivo? Foi o que tentei mostrar nesse post, que nem sempre é uma desculpa para ser vagabundo, mas uma vontade incessante de encontrar objetivos de vida que não nos tornem máquinas ou adultos cheios de sonhos quebrados. 

Tem medo de envelhecer? Pois é, eu também tinha! Até perceber que existe um jeito de celebrar cada ano vivo com sincera alegria. Afinal, não tem como parar esse trem, não é mesmo?

___________

Adorei esse novo formato de post! Gastei horas desenvolvendo, criando, editando e, poxa, que felicidade! Agora o botão de curtir tá no alto da postagem, abaixo do título, à direta! Clica lá pra impulsionar os discípulos! Comente, dê sugestões, mande mensagens privadas pela página do DDPP no Facebook e não deixe de voltar todos os dias!


FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

O Maníaco (2012)


Gosto de filme que não deixa parar pra respirar; que quando termina faz achar que não tem uma hora e meia de duração, que é bem mais curto. Essa sensação chega por ser dinâmico, ininterrupto e não dar chance nenhuma de ficarmos ociosos. Com balanço criativo de uma narrativa doente, Elijah Wood interpreta um assassino em série esquizofrênico, buscando vida ao matar loucamente.

Marcado por traumas envolvendo cabelo (como símbolo de pureza e eternidade) e sexo, Frank possui uma loja de restauração de manequins que está há 3 gerações na família. Todas são de anos e estilos diferentes, mantendo em comum um aspecto: o couro cabeludo de mulheres assassinadas por ele, que tenta reproduzir um momento que lhe foi importante, voltar no tempo. Por isso, o embasamento de Frank como assassino tem lógica firme apoiada em transtorno psicológico.


Filme "O Maníaco", com Elijah Wood

A fotógrafa Anna (Nora Arnezeder) se apaixona pelas manequins ao passar na vitrine e se tornam amigos, ele mesmo fica surpreso, num abismo de dúvidas entre aproveitar a companhia de sua única proximidade ou permitir que seus impulsos monstruosos o dominem e façam com que ela dure pra sempre ao seu lado como uma de suas bonecas. Cara, Elijah Wood convence como maníaco! Coisa que não achei que fosse acontecer, pois mesmo mais velho, com outro corte de cabelo, ainda tem cara de inocente, de indefeso. 

Claro que é uma característica não ignorada: ao invés de tentar contorná-la, Elijah a usa para compor a personalidade de Frank, tímido, procurando vítimas online em sites de relacionamento. Então sim, ele tem cara e jeitão de maluco, mas também tem olhos azuis e pose misteriosa pra atiçar curiosidade alheia. O maior ponto do filme — uma de suas principais sacadas — é a câmera em primeira pessoa quase o tempo todo. Assistimos a vida pelos olhos do próprio Frank, de dentro do carro observando a vítima até o escalpelamento sem dó com uma navalha de barbeiro. Sem cortes.


Filme "O Maníaco", com Elijah Wood: os manequins

A quantidade de violência e sangue são o segundo marco, não deixando brecha pro espectador olhar pro lado. A sequência de mortes possuem espaço pequeno de acontecimento, de maneiras diferentes e surpreendentes também. Frank é um assassino bestial, de instinto, não pensando sobre impressões digitais ou cenas de crime, por isso o filme não perde tempo com enrolação. Nunca. O roteiro é muito bem amarrado pra ditar o tom do enredo e não deixar Maniac entediante.

Como remake do filme de mesmo nome dos anos 80 (que ainda não vi) não posso comparar. Sei só que alguns críticos apontaram como um clássico imediato do terror moderno, e logo depois da primeira cena de morte, com o título do filme em vermelho-sangue em fontes largas, dá pra sentir o nascimento de cult instantâneo. Dá pra ter certeza que não vai fazer feio, que vai dar vontade de ver mais algumas milhões de vezes.

Maniac é pra quem gosta de assassinos em série, traumas psicológicos, compulsão por moças bonitas/exóticas e vontade de ver Elijah Wood totalmente livre do espírito de Frodo de O Senhor dos Anéis. Vale o repeat.

Filme "O Maníaco", com Elijah Wood: nota


O trailer está com áudio em inglês e legendas em francês, não consegui achar no nosso idioma. Mesmo assim dá pra entender. Ah, esse é o trailer proibido pra menores por causa da violência, ok? Cuidado na hora de ver.



FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Homem finge orgasmo também

homem+finge+orgasmo

Por ego ferido, dificuldades sexuais, pressa pra acabar, por falta de prazer e ou impressionar, um terço dos homens é capaz de fingir orgasmo. Parece insano dizer isso, pois ao contrário das mulheres, dá pra saber quando ele chega lá: ejaculação. Com truques sutis somados às caras e bocas dignas de teatro, é possível enganar o(a) parceiro(a). Por quê? Como? Você já fingiu?

Síndrome de Peter Pan: não quero ser babaca

Leia mais autoajuda

Aprendemos que ser jovem é a coisa mais maneira do universo, experimentações sem julgamentos, onde erra-se de propósito pelo prazer de fazer algo fora da lei. Por isso, a Síndrome de Peter Pan carrega fama negativa: adulto que não sabe (ou se nega) a crescer, encarar responsabilidades. Porém, com a definição de adulto que conhecemos, é mais chocante saber quem gostaria de crescer...

Parabéns, Discípulos de Peter Pan!

editorial

Apesar de ter sido criado no dia 11 de setembro (data do meu próprio nascimento), foi apenas 11 dias depois que o DDPP veio ao ar! A 22 de setembro de 2012, eu e o Gustavo "Begus" Bezerra começamos nossa jornada em busca da Terra do Nunca, nossos esforços mais sinceros para não nos tornarmos adultos idiotas viciados em dinheiro e sem tempo para videogames.

10 músicas pra curtir a primavera


Amanhã começa a primavera! Não se engane com minha felicidade: amo o frio, amo o inverno, amo o outono, mas também preciso de ar livre, de correr pelos campos feito uma gazela e de minhas alergias que só essa época do ano pode trazer! Seguindo o clima das sugestões de lazer que dei ontem pra aproveitar a primavera, fiz uma playlist feliz! Feliz!


Primavera: ideias pra aproveitar a estação


Outono e inverno vo-a-ram, cara! Que louco! Vamos ter dificuldades pra dormir, contas altíssimas por causa do ar-condicionado e ventiladores ligados 24 horas, e queimaduras doloridas na pele de uva-passa morta. Só por isso vamos deixar de amar a estação? Primavera anuncia o verão, porém consegue ser ainda mais divertida. Nesse post, ideias pra se ocupar (e se preparar) pra estação das flores!

Astronomicamente, a primavera desfilará suas cores a partir do dia 21, próximo sábado (um dia antes do aniversário de 1 ano desse querido site). Falando de clima, tá rolando desde o dia 1º. Tentei simplificar a exibição das atividades e deixar as coisas mais bonitinhas pra inspirar. Ainda pra essas duas estações que se aproximam, quero ensinar um FESTA EM CASA com piqueniques temáticos, guias de trilhas pra pegar no Rio de Janeiro, praias desertas pra acender fogueiras e coisas do tipo! 


1 Bora fazer piquenique? Como disse, ainda vou postar tutoriais pra dar uma nova cara à tradição tão antiga, até lá, vá juntando o necessário: cestinhas, além de embelezarem, serão mais úteis se forem térmicas, mantendo frutas, bebidas e outros comestíveis fresquinhos. Nem é caro!

2 Toalhas, toalhas, toalhas! Diversas cores, diversos padrões! Também não sai caro e o legal seria se cada amigo levasse uma (serve canga de praia), só pra ninguém ficar com a bunda penicando no gramado! Falando nisso, serve quintal de casa, bosque da cidade ou parquinho aos domingos! Nada de sujar o local, ok?

3 Desnecessário, mas acho lindos os chapéus de festa, desses vendidos em supermercados! Geralmente vêm 10 unidades e custam uns R$ 5,00. Fica foda nas fotos, todo mundo igualzinho! Dá pra customizar, se sua onda for outra, colando círculos de papel ou entrelaçando fitinhas coladas!

4 Comes e bebes, claro. Por ainda não estar aquele calor dos diabos — que vai chegar com o verão — dá pra aproveitar o Sol com temperatura amena pra abrir um vinho, né? Muitas frutas, biscoitos, salgadinhos (nada gorduroso, pra ninguém passar mal) e iogurte! Assim se faz um piquenique básico e feliz!

Cansou do piquenique? Quer adrenalina e velocidade? Já pensou em comprar um longboard pra aproveitar o melhor do asfalto? Diferentemente do skate de street (nº 7), que é curto e feito pra manobrar, o long é pra correr, sentir o vento na cara. Por isso, escolha uma paisagem (como a sugestão do pôr-do-Sol) e gaste a sola do All Star!

6 Pra acompanhar a viagem de longboard, leve no seu smartphone a trilha sonora feita especialmente pra isso. É só clicar aqui pra ouvir.

7 O skate de street é o mais comum e menos caro. Tanto para o long quanto pra esse, fiz um guia especial pra quem quer começar a andar (mais voltado pra quem já passou dos 20 mas quer tentar mesmo assim). Pra ler, clique aqui. A sugestão de paisagem foi rua à noite, acho tudo a ver, mas nada impede de apostar corrida com o amigo rico que tá de long.

8 Esse skate também tem playlist especial, tá? Escute aqui.

9 Sabe o que tem tudo a ver com primavera? Essa camisa hippie que ensinei a fazer aqui. Pra usar de dia é o poder. O número "10" deveria vir antes do 11, mas na Terra do Nunca as regras da matemática podem ser dobradas, então vamos pro dia do meu aniversário!

11 À noite, pode usar uma camisa confeccionada com técnica similar, só que com estampa e cores mais frias. Aprenda a fazer aqui e conheça a inspiração seapunk aqui.

12 Hora de música! Apesar dos EUA estarem entrando no outono, ótimos lançamentos de lá casam bem com nossa primavera! Primeiro é o álbum Days Are Gone, do trio excepcional, Hime! Será lançado oficialmente no dia 30 de setembro, mas vazou e se tornou um dos melhores lançamentos de 2013! É feliz, meio indie, e apesar de coloridinho, o vocal grave não deixa ficar enjoativamente pop. Vai se apaixonar, garanto! Ouça Falling.

13 MGMT lançou o álbum de mesmo nome e acertaram na aposta que trouxeram do "meioindieechatinhodemais" Congratulations. Em MGMT ainda temos a psicodelia gostosa, as letras divertidas e a seriedade de quem faz música pra maluco bater palmas. Ouça Your Life Is a Lie.

14 Kings of Leon bebeu da própria fonte e foi no passado buscar a essência para o nem-tão-sexy-assim-mas-é-ótimo Mechanical Bull. O melhor álbum deles, pra mim, continua sendo Only By The Night, mas até resolverem produzir algo parecido, Mechanical Bull é legal pra explorar. Ouça Supersoaker.

15 E o que falar do cláááássico Down The Way, da dupla de irmãos Angus & Julia Stone? Com a melancolia enrustida do outono, tem aspecto de renovação da estação mais colorida. É álbum que precisa estar na coleção, sem dúvidas. Ouça And The Boys.

16 Pra assistir, selecionei 4 filmes sobre segundas chances, erros que se tornam acertos e novas formas de olhar a vida. O Grande Gatsby é uma produção linda, tendo o incrível Leonardo DiCaprio como Gatsby, e uma fotografia mágica, lúdica, que funciona muito bem se assistida em 3D! Veja o trailer.

17 Antes Que Termine o Dia vai te deixar chorando por horas, mas vai ensinar o verdadeiro valor de fazer tudo antes que seja tarde. Ame, se machuque, evite magoar o outro e aproveite cada segundo dessa vida. Assista o trailer!

18 Falei d'A Viagem aqui no site (clique pra ler) e é maravilhoso! Ganhou nota máxima! É longo, mas dá novos significados pra eventos cotidianos que vemos separados, fora de um sistema enorme que conecta vidas. É pra pensar na sua importância pro mundo, assim como a de nossos vizinhos.

19 Também falei desse lindoco aqui no site. Apesar da paisagem meio morta de Moonrise Kingdom, essas cores, o enredo, tudo me lembra a renovação da primavera! E nada melhor do que crianças interpretando como adultos! 

___________________

Discípulo de Peter Pan, não deixe de aproveitar as próximas estações por causa do calor ou porque todo mundo parece mais feliz. Não tem como trazer o frio na hora que você quiser, assim como não dá pra ganhar uma Ferrari de presente a cada segundo! Aproveite o que tem em mãos! Serão 6 meses com poucas frentes frias, 6 meses que te farão reclamar de tudo, então se poupe.

Ainda estamos vivos! Temos muitas sociais, piqueniques, trilhas e praias pra mergulharmos! Vamos quebrar tabus, baby! Feliz primavera pra você!

O Despertar (2011)


Filmes de espíritos me pegam pelo pé: amo! O ruim dessa categoria é qualidade de roteiro, quase sempre patético, um monte de tentativas de susto pra entreter durante duas horas, pra ganhar dinheirinho. O Despertar se destaca pelo elemento de "quebra-cabeças", com dois possíveis finais que colidem num só e te deixam de boca aberta, se matando pra colocar as peças no lugar.

Pra quem tá acostumado aos conceitos do espiritismo, o filme se torna ainda mais complexo, já que acompanhamos Florence, investigadora de charlatões que, numa Londres de 1921, se aproveitam das perdas de entes queridos pela recente guerra para fazer money em sessões de comunicação espiritual. A gente entende também que essa busca de Florence pra desmascarar a mentira sobre vida após a morte é mecanismo de defesa: ela perdeu alguém e precisa acreditar que não há nada impedindo de seguir em frente.

Sendo escritora científica famosa (lançou um livro sobre o que investiga), um colégio interno só de meninos pediu que investigasse o fenômeno que tem aterrorizado os garotos, causando a morte de um deles, que têm visto o fantasma de um garotinho que assombra o prédio há quase 20 anos. No que Florence acredita? Que é um dos próprios meninos bancando o fantasma. O que ela não imagina? É que os fantasmas de sua própria mente podem ser muito mais perigosos do que qualquer pessoa. Viva ou não.

Odeio filme de época. Tenho repulsa a essa estética e não sei bem a razão. Tanto que, quando comecei a assistir, não me liguei que se passava nos anos 20 até ver toda a ambientação. O que me fez nem ligar pra isso foi como o roteiro e a atriz principal abordaram a presença da personagem Florence dentro do contexto antigo: por mais que seja na época que minha avó era virgem, não tem narrativa desatualizada. 

Falando nos atores, o elenco é demais! Eles não dão shows de drama, não foram indicados ao Oscar, mas sustentaram tão bem as verdades de seus papéis que conseguiram causar envolvimento suficiente pra desligar de questionamentos rasos, permitindo uma interpretação nossa — do telespectador — mais profunda. Dá pra ler os rastros psicológicos e traçar um esboço de perfil rapidamente (o que gera mais dúvidas ao redor da trama).

E sobre a história, cara, tem duas reviravoltas muito grandes. Apesar de algumas pessoas no Filmow terem ficado confusas acerca do final, achei claro, positivamente falando. É um filme produzido pra gerar discussões intensas e ter seus momentos de ação, tudo bem equilibrado, coisa que tá em falta no mercado de filmes desse gênero, como falei lá em cima. 

Vez ou outra ele desacelera bastante, mas depois da conclusão, você lembra das cenas mais lentas e percebe que os roteiristas te deram pedaços desse tal quebra-cabeças pra que, no fim, não ficasse com uma figura incompleta nas mãos. É inteligente, curioso e vai agradar todos aqueles que apreciam um bom filme investigativo ou que têm pezinho no misticismo/sobrenatural. É tiro certo.   





Namorando um cara no armário

namoro+gay+armario

Um relacionamento precisa acontecer apenas entre os dois envolvidos (se for poliamor, mais de dois) e mesmo que excessos de demonstrações públicas de afeto causem nojo, é chato não poder pegar na mão do namorado na hora de caminhar no shopping ou trocar um selinho rápido enquanto dividem um McMelt. Até acontece entre homens e mulheres, mas entre dois caras é insuportavelmente comum.

Pressa ou qualidade de vida?

Leia mais autoajuda

Pra chegar no estágio, saía de casa duas horas mais cedo. E chegava em casa duas horas mais tarde. Morar na cidade não é ruim por causa da distância, mas pelos obstáculos: trânsito e gente mau-humorada. Enquanto as pessoas reclamavam nas filas, eu (com meus fones de ouvido) descobri o segredo pra ser feliz no meio de tanta pressa. Tô compartilhando contigo agora.

10 músicas pra voltar pra casa


Fim de balada, fim de festa. Pernas moles, ressaca moral. Se imagina numa série de TV, abraçado aos amigos, destruído. A única coisa que deseja no momento é cama, sua casa, enquanto o Sol tenta nascer antes que você se cubra com os edredons. Essa seleção dá vontade de viver num filme, de curar as dores do arrependimento e excessos da noite anterior...


1. Home For Now — PATRICK PARK
2. Follow The Cops Back Home — PLACEBO
3. Going Back/Going Home — BUTCH WALKER
4. Evening Kitchen — BAND OF HORSES
5. Goin' Home — BILL FERGUSON
6. Own Your Own Home — ROGUE WAVE
7. Never Going Back Again — FLEETWOOD MAC
8. Open Your Arms — EDITORS
9. Same Old Story — SOUTH
10. Re:Stacks — BON IVER




Últimos Artigos