Carregando...



Coisas que não contamos pra ninguém

Leia mais autoajuda

Todos têm segredos, algumas histórias cabeludas, alguns erros macabros. Todos têm vergonha de como se sentem em relação a alguma coisa — ou sobre si mesmos. É sobre isso que vou falar hoje, sobre sentimentos que relutamos pra admitir pra gente e, consequentemente, impedimos expressões por acharmos que não vale a pena expôr, por nos sentirmos vulneráveis ou patéticos. Isso dá câncer, sabia?

Pelo menos raiva encubada contribui. Sabe quando nos emputecemos e engolimos a razão da raiva por achar que não vale a pena discutir? Estocar mágoas e ressentimentos desenvolve mutações no corpo: das psicológicas às físicas. Assim segue pra tristeza crescente que vivenciamos sozinhos num quarto trancado e passamos a responder "tudo ótimo" com um sorriso ensaiado quando perguntam como estamos.


Coisas que não contamos pra ninguémComo aconteceu na pedofilia, a sociedade bate muito na tecla da depressão. O que pra alguns é a desculpa ideal pra levantar a bandeira de vítimas e usar como desculpa pra tudo, pra outras é uma condição real e, muitas vezes, não diagnosticada. Melancolia que surge e se sustenta do nada, perdura por dias, e é considera tão "infantil" que fica guardada, remoendo por não sentir segurança em contar pra um familiar ou amigo (por medo de julgamento, ser chamado de dramático, por exemplo).

Pra quem correr quando você é o psicológico gratuito? Quando precisam desabafar, a rodinha ao seu redor se forma. Quando é você quem precisa falar sobre o recente término de namoro, a perda de alguém querido ou falta de perspectiva profissional, parece que ninguém será capaz de dizer algo que ajude, já que todos são mais ferrados e, pior que isso, não sabem  escutar. Tentam aplicar uma lição de moral sem fundamento ou puxando o enquadramento pra eles, te obrigando a ouvir quando, só dessa vez, você tenta falar.


Motivação zero.Com o tempo, percebendo que não tem com quem compartilhar esse monte de sentimentos confusos, o corpo desenvolve anticorpos naturais: introspecção. Tudo que sente, se mantém contigo. É bom? Sim, claro! Mesmo que seja ótimo expressar o sente e conseguir alguém de confiança pra dividir peso, saber que ninguém além de você poderá resolvê-lo é melhor ainda. Evita atribuição de culpas sobre quaisquer pessoas não envolvidas diretamente na causa desse incômodo.

Em contrapartida, a sensação de isolamento, de estar sozinho numa jornada cheia de espinhos, piora a solidão. A impressão de que tem esse enorme iceberg no caminho se soma ao que já sente de negativo, fazendo com que encontre mais motivos pra continuar no mesmo lugar, sem grandes melhoras. "Antes só do que mal acompanhado", diz aquele ditado. Porém, quando o inimigo nasce e cresce dentro da gente, a única maneira de não se ver mal acompanhado é deixando de existir. 

E essa é uma perspectiva que precisamos evitar com todas as armas que tivermos, senão deixaremos de usar a faca apenas pra passar manteiga no pão.  

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos