Carregando...



5 livros sobre sonhos

livros+sobre+sonhos

Sempre achei que livros fossem muito parecidos com sonhos, porque sempre que leio, me envolvo tanto na história que é como se tivesse entrado em um mundo onírico. Talvez seja por isso que meus sonhos sempre pareçam tão reais — por isso é tão difícil acordar de manhã... Li algumas obras muito boas sobre sonhos esse ano, e separei algumas pra vocês.


*separei um que não li também, mas isso é outra história.


1. A Busca Onírica por Kaddath - H. P. Lovecraft

Sou nova no universo Lovecraft, li apenas dois livros dele (e ganhei uma edição maravilhosa de The call of Cthlhu and other weird stories do meu pai de aniversário, que ainda preciso ler), mas já posso me chamar de fã (posso?). Recentemente li A Busca Onírica por Kaddath, que faz parte do ciclo dos sonhos do Lovecraft e é protagonizado pelo alter ego do autor, Randolph Carter. Ele viaja no mundo dos sonhos em busca de uma cidade proibida.

No começo fiquei um tanto irritada porque o livro é um relato de acontecimentos e cenários, ou seja, os pensamentos e emoções dos personagens são deixados um pouco de lado, mas sabe quando você tá lendo e imagina as cenas? Então, as imagens mentais que o Lovecraft me dão são muito maravilhosas pra serem ignoradas (e sim, usei uma hipérbole de propósito). Se eu fosse te dar um motivo pra ler esse livro, diria apenas que Raldolph Carter é salvo mais de uma vez por um exército de gatinhos.



2. Fios de Prata – Raphael Draccon

Ano passado, durante a Bienal do Livro aqui em Fortaleza, fui pra uma palestra do escritor Rafael Draccon. Até então não tinha lido nada dele. Fui pra palestra porque tinha comprado a trilogia que ele escreveu, Dragões de Éter, numa promoção muito boa no Submarino, mas os livros não tinham chegado ainda e eu queria saber no que me meti. Na época ele tava divulgando o livro novo, Fios de Prata, que comprei relutantemente depois de ter amado Dragões de Éter (e de ter adorado a palestra dele).

Por que relutantemente? Porque o personagem principal era um jogador de futebol chamado Allejo (que também é o nome de um personagem de uma série de videogames de futebol). Pensei “Ah, esse livro é de menino, não vou gostar...”, eu não poderia estar mais enganada. De fato, faltam personagens femininas fortes: a moça que faz o par romântico do tal Allejo é, literalmente, uma donzela em perigo, mas a história é absurdamente incrível (eu e minhas hipérboles...) e metade dela acontece no nundo onírico (ou sonhar, se preferirem...). Lembro de estar lendo no ônibus e ter que parar de vez em quando pra procurar alguém pra dizer “Gente, pelo amor de deus, de onde ele tirou isso?! É genial!”. Um dos melhores livros nacionais que já li e, definitivamente, top 5 dos livros que eu li esse ano.



3. Sandman – Neil Gaiman

A série de HQ que consagrou Neil Gaiman como quadrinista, foi também meu primeiro contato com a obra de meu escritor favorito. São 75 números divididos (no Brasil) em 10 arcos. Quando comecei a ler, aos 17 anos (tava em época de vestibular, por isso nunca terminei de ler tudo, só fui até o quarto arco e desde então tentei retomar na faculdade, mas nunca consegui tempo), lembro ter ficado obcecada por sonhos e seus significados, até cheguei a ter um diário de sonhos por algum tempo.

Essa obra foi muito importante pra mim não só porque me levou a conhecer o mundo do Gaiman, mas também foi a primeira HQ que li, então posso dizer que sou a leitora de hoje por causa de Sandman. Vale muito a pena. Meu arco favorito é o terceiro (até agora...).



4. Alice no Fundo do Espelho – Lewis Carroll

Ok, não queria soar clichê colocando Alice aqui, mas essa lista não estaria completa sem ela. Escolhi Alice no Fundo do Espelho — que é a continuação de Alice no País das Maravilhas — porque ganhei quando eu tinha dez anos e por muito tempo foi meu livro favorito. Quando era mais nova, nem sabia que existia diferença entre um livro e outro, já que o filme da Disney mistura partes dos dois.

Inclusive um dos meus poemas favoritos é desse livro, e se chama originalmente A boat beneath the sunny sky. É o que fecha o livro na minha edição de quando tinha dez anos. Uma das maiores raivas literárias (?) que tive foi comprar uma edição mais recente que não vem com o poema.




5. Sonho de Uma Noite de Verão – Shakespeare

Esse é o livro dessa lista que nunca li, mas tá na lista há algum tempo — preciso comprar urgentemente. Sempre quis ler algo do Shakespeare, mas não tenho paciência pra tragédias e acho Romeu e Julieta meio que um saco. Sonho de Uma Noite de Verão, no entanto, é uma comédia que envolve romances frustados, casamentos forçados, elfos e ninfas, então não tem como ser chato.

E no terceiro arco do Sandman (aquele que é meu favorito), Shakespeare viaja pro sonhar e de lá tira a inspiração pra essa peça, que oferece ao próprio Sandman como pagamento pela viagem, mais um motivo pra eu (e você) ler.



FacebookVisite o site dela!InstagramConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos