Carregando...



O santo não bateu...

Leia mais autoajuda

De onde vem a sensação inexplicável de quando a gente bate o olho e, de cara, não gosta de alguém? Pra quem acredita em energia, diz que é incompatibilidade ou um fluxo onde dá pra perceber que alguém não é de confiança. Pra outros é pré-conceito. Ainda há o subconsciente, podendo mostrar a pessoa como inimiga ou ameaça. Mas o que é, afinal?

Pra mim, "o santo não bater" é uma mistura de tudo ali em cima. Acredito em energia, mas não no sentido extremamente místico. Acho que é possível sentir a vibe positiva de uma pessoa que vive alegre, sorrindo e que é sincera ao querer seu bem, da mesma forma que seria possível alguém negativo, mal-humorado e mentiroso emanar uma aura incômoda, obscura, repulsiva.


Imagem: inkah.tumblr.com

E nem precisa ser bruxo pra sentir! Seu corpo é reflexo de seu interior. Um sorriso sincero sempre exibirá verdade, enquanto um forçado será amarelo e trêmulo. Inseguro, sabe? Os olhos, então, esses são difíceis de treinar pra mentir. Olhar alguém nos olhos e manter o contato é quase que montar uma ponte espiritual pra conhecê-lo por dentro. Quase. É biologia, puro mix de raciocínio, sentimentos e observação.

Também gosto de acreditar que todo ser vivo possui uma reação instintiva, que é resíduo da evolução de quando vivíamos no mato, caçando pra sobreviver aos perigos da vida: a intuição, aquela voz que diz pra não seguir por determinado caminho ou não fazer certa estupidez. Ela também pode fazer com que você se afaste de alguém que, a longo prazo, poderia fazer mal — mesmo que sem intenção direta. 


Imagem: jaydistrict.tumblr.com

Independente da crença, quando "o santo não bate" fica difícil de "desbater", o que é diferente de não gostar de alguém por implicância ou por ter presenciado uma atitude feia partindo dela. Ainda acho válido, quando acontece comigo (o que é difícil) me colocar pra conhecer a pessoa melhor. Vez ou outra, até luto contra meu instinto por achá-lo errado, um julgador cego e teimoso. 

Se nada der certo, melhor manter o afastamento com honestidade (sem grosseria), abusando de respeito e educação, pois são essas as chaves que nos separam dos animais considerados "irracionais". Se preservar, excluindo uma presença de sua rotina, não é crime. Muito pelo contrário: cercado de pessoas positivas, você se torna cada vez mais positivo. Sendo assim, desde que não gere brigas ou ofenda ninguém, que mal tem? Deixa o santo no canto dele...


FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos