Carregando...



Roupas e decoração de American Horror Story: Coven

Leia mais sobre estilo

Uma semana antes de postar esse artigo eu já tinha comprado um chapéu de campeiro (gente da roça) porque não há estilo que eu ame mais que o da Zoe, da série American Horror Story: Coven. Sempre fui muito apaixonado pela caracterização da bruxa em filmes como Jovens Bruxas ou nas pesquisas divertidas do Tumblr, mas aqui o bom senso e a essência se misturam.

Os figurinistas (assim como a equipe de tudo dessa série) são excepcionais, expressando a personalidade de cada personagem na iconografia ideal e realista, sem perder um pingo de elegância. Pra mim, Nan e Zoe são as bruxas mais "bruxas" na forma de se vestirem, com laços, chapéus, colarinhos arredondados e muito branco, preto e contrastes. 




Por isso resolvi deixar quatro looks maneiros: dois pras meninos, dois pras meninas. Por que dois? Um pro verão/calor e outro pro inverno/frio (porque a gente sabe como as temperaturas são loucas e altas por aqui). Lembrando que nada disso é regra, não sou o Senhor Fashion (mesmo) e acho que isso nem se encaixaria aqui, e é só sugestão com coisas que eu usaria. Que eu uso. Usaria mais. Vamos começar por eles:



 1  Esse chapééééu! Zoe é a mestre deles, um mais lindo que o outro. Pra transforma-la a um aspecto masculino (e fiel ao estilo "amish" de onde ela é inspirada) resolvi misturar com urbano. Pra achar um desses, procure por chapéus gaúchos/campeiros/pantaneiros no Mercado Livre ou lojas especializadas, brechó deve ter mais legais e baratos. Vai de R$ 50 a R$ 150.

 2  A camisa Tabuleiro Ouija (ensinei a fazer aqui) pode ser comprada na Loja do DDPP. Ajuda a compôr o urbanismo que falei, pra quebrar o arquétipo interiorano.

 3  Bermudão pra balancear o branco e manter o monocromático incrível.

 4  Botas de combate são impossíveis de enjoar. Comprando um par de boa qualidade, dá pra usar por anos (as minhas têm cinco).

 5  Óculos redondos nunca saem de moda, mas acho que não combinam com tudo. Tava conversando ontem com uma amiga sobre o estilo que eles se encaixam melhor: na pegada rockstar. Esse estilo bruxesco, meio hipster-na-chuva também beija  bem as lentes sem ponta. É o único par de óculos que uso.

 6  Brinco de cruz é outro acessório que não sai dos meus favoritos, sempre na orelha esquerda (falei sobre brincos solitários aqui). Apesar de ser um símbolo cristão, a cruz significa proteção, sacrifício por um bem maior, essas coisas. Tem quem torça o nariz, mas acho iconograficamente incrível.

 7  Anéis pretos! No dedão, no indicador, no anelar! Abusa um pouquinho, fica meio cigano!

 8  E o que seria de um bruxo sem grimório, certo? Também chamado de "Livro das Sombras", é o diário pra registrar seus caminhos mágicos, experiências sobrenaturais, feitiços e rituais. Pode comprar esse grimório aqui.

 9  Gatos, corujas, vacas, bodes: todos são considerados animais místicos de alguma forma. Por que não o cachorro? Fiel, melhor amigo, sensitivo, um pretão pode acrescentar valor ao camarote das vassouras (e ao camarote emocional, porque é incrível ter um amor desse na sua vida). Adote, não compre.

10 E pro look de inverno, ao invés do chapéu "amish" ou gaúcho, um beanie pra ficar com cara de moleque-Tumblr.

11 Sei que poncho (ou pala) é uma escolha que muitos consideram abomináveis. Mas a intenção aqui é dar movimento quando andar, sabe? Parecer fantasma? E o legal de parecer bruxo não é andar na moda, é ser o freak, usar o que quiser. Esse poncho poderia ser substituído por um casacão aberto no estilo David (dos Garotos Perdidos), mas nunca tá frio o suficiente pra isso.

12 Skinny preta de corte reto. Só pra acentuar.

13 E repita as botas de combate, pra não gastar dinheiro.

14 O Tarot de Marselha é um dos mais tradicionais e populares, achado facilmente em, tipo assim, qualquer lugar. Seria uma boa começar seus estudos, porque não precisa de feitiços nem nada. É só saber interpretar o que as mensagens do "divino" mandam pra você num sistema de acasos. No futuro farei um guia maneiro sobre leitura de tarot, que tal?

15 Velas, velas, velas, velas, velas em todos os lugares. Cuidado pra não incendiar as cortinas e deixar as salamandras lamberem sua casa, valeu?



 1  O chapéu no estilo "amish" aparece de novo. Esses looks versões femininas dos que fiz pros meninos.

 2  Blusão branco, leve, com colarinho preto, arredondado e com fitinha pra finalizar o lacinho. Também é inspiração direta da cultura "amish", cara de camponesa, filha de Salem.

 3  E shorts curtinhos, né? Nada de parecer beata.

 4  Ankle boots simples, dá pra achar por preço camarada em qualquer lugar.

 5  As aranhas, no xamanismo norte-americano, são donas do destino, seguram a teia da vida. Além de belo, dá pra atribuir significados místicos às bijuterias — sorte das meninas que sempre podem abusar mais.

 6  Óculos quase-gatinha, mas repetir os redondos dos garotos vale também.

 7  Acho meninas com alargadores de 2mm muito, muito, muito sexies. Se você já tem um buraco, troque o alargador pra cor preta. Se sua pele for negra, use o branco. Contraste básico.

 8  Esse estilo de bruxa, na minha opinião, não combina com agressividades como crânio humano ou qualquer menção à morte de maneira violenta, preferindo temáticas animais e subjetivas, como esse crânio de touro. 

 9  A bolsa Ouija pode ser comprada aqui!

10 Incensos ajudam a harmonizar ou dissipar energias de um local. Enquanto os de alfazema são bons pra apaziguar energias, o de cravo remove o que atormenta. Eles impregnam ambientes com energia específica e você deveria saber que semelhante atrai semelhante. 

11 O look de inverno tem peças básicas, meio grunge, largadona mesmo. Uma social por baixo do suéter largo cai bem pra quem tem cabelos longos (mesmo se não forem tão lisos quanto os da Zoe). 

12 Saião preto é must pra toda bruxa ficar foda. Ou todo bruxo corajoso o suficiente.

13 E gato preto, já que os meninos chegam com os cachorros. Tudo preto, gente. Tudo preto.



 1  O álbum Dark Eyes (2012) da banda Half Moon Run foi uma surpresa muito legal de 2013 (é, só achei esse ano), com temática mística e indie rock legalzinho, sem afundar muito nos estilos. Se tá buscando coisa nova e maneira, indico sem riscos.

 2  Fleetwood Mac (1975) é o álbum autointitulado e um dos 200 definitivos do Rock. É bom pra caralho. Além de ser trilha sonora da Misty Day (bruxa hippie da série), pode ser bem esotérico mesmo. Tudo nessa banda tem cheiro de magia, de busca, de admiração. E a vocalista Stevie Nicks vai dar pintar em Coven! Aproveita a vibe! 

 3  Lykke Li produziu o Wounded Rhymes (2011), que tem vocal de fantasia, estilo visual peculiar e é muito bom pra ouvir. É diferente, não é pop, e pode soar bem estranho no começo, mas depois é simples vida. 

 4  E se achou Lykke Li estranha, Fever Ray vai mais longe ainda. Tanto que há alguns anos excluí o álbum Fever Ray (2009) do iTunes. Só foi depois de absorver o clipe When I Grow Up que passei a admirar a magia do disco. Xamanismo, simbologia, coisa de macumbeira. É pra amar também.


Imagens: domainehome.com

A primeira reação que tive ao assistir Zoe chegando nesse internato divino foi: "preciso-morar-aí". Os grandes espaços, a quantidade de branco, os móveis escuros e os tons amadeirados já com pintura descascadas, quebraram a imagem de uma casa de bruxa comum, cheia de mato e sombria. Aqui se parece mais com um asilo assombrado, sempre iluminado, visivelmente arejado (essas janelas!) e leve.

Ellen Brill, responsável pela decoração dos sets, quis montar uma casa que beirasse o abandono e se misturasse com o habitável, onde vizinhos se perguntariam quem diabos moraria naquele lugar imenso e esquecido. Entre pisos de madeira e azulejos, é branco o fundo dessa esfera, com móveis de silhueta escura e formas orgânicas. Muitos autorretratos em óleo nas paredes, objetos vintage e garimpados de brechó. Você não sairia do quarto pra pegar água de madrugada, sairia?

Pra quem quiser reproduzir o estilo em menor escala (porque uma casa dessas deve custar os olhos da cara), vale pegar inspiração daquelas fotos do Tumblr cheia de paredes brancas, abusar da massa corrida e brincar com texturas dela, reaproveitar móveis de lixo e fazer pátina (deixar com cara de acabadinho romântico), comprar candelabros, usar madeira de demolição pra móveis e manter o mínimo de objetos possíveis, pois o minimalismo é chave (com exceção dos detalhes, mas nada que polua a visão). 

Agora imagina uma social de Vampiros & Psicopatas num lugar desses...

___________


É só pra inspiração mesmo. Gostava de procurar essas wishlists com peças montadas: me levavam a descobrir o que eu queria e o que não queria na minha arara. Sem dúvidas, as bruxas de American Horror Story: Coven são ícones bem legais de produção visual e mesmo que a série não seja eternizada, o trabalho estilístico ainda vai servir de referência pra muitos outros programas, dos figurinos aos cenários.


Compre sua camisa da Zoe matando zumbis!



FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos