Carregando...



Como escrever um livro, parte 2: Pesquisa

Leia mais sobre livros

Você cansou das desculpas! Lembra do que absorveu na primeira parte do guia de Como Escrever um Livro? Começar só depende de você! Todo mundo diz que quem escreve bem é quem lê muito, certo? Já ouviu falar em pesquisa literária? É quando você faz um mapeamento do gênero do seu livro antes de começar a escrever ou lançá-lo. Vamos falar mais disso...


Existem milhares de autores em dezenas de categorias literárias: romance, horror, ficção científica etc etc etc. Você, como autor, acha que pode inovar com sua obra, certo? Mas como sabe disso? Como evitar que seu livro não passe de uma repetição? Como se destacar? E como aprimorar suas habilidades narrativas dentro desse gênero? Simples: com pesquisa.


Imagem: missjess2006.blogspot.com


o que é pesquisa literária?

Pesquisa não é correr para o Wikipedia e pedir uma definição para o que você está fazendo. É, sim, conhecer o meio onde vai inserir seu livro. Autores experientes (especialmente da NaNoWriMo, que conta com um time barra-pesada) dizem que a melhor maneira de pesquisar o universo literário que quiser penetrar é lendo de três a cinco livros mais vendidos desse gênero.

Ou seja, se vai escrever um romance, leia os mais vendidos para ver o que está em alta no momento. Isso ajuda a evitar repetições (escrever mais do mesmo), clichês, dá uma visão mais ampla das possibilidades de uso da linguagem, expande a criatividade (inspira) e faz a melhor coisa do mundo: mostra o que você não gosta no livro dos outros. Sabendo o que incomoda no livro dos outros, você não coloca no seu.


Imagem: flickr.com/photos/modern_classic


como assim?

Já reparou que a gente prefere detalhar o que não gostamos nos filmes e livros ao invés de falar sobre o que gostamos? Porque, quando não gostamos, uma série de conceitos "técnicos" se envolvem: "não gostei da narrativa", "lento", "não tem profundidade nas características das personagens" e por aí vai. Quando a gente gosta, envolve mais os sentimentos positivos e uma chuva de elogios.

Sabendo o que você NÃO gostou nas obras que leu, consegue evitar os mesmos "erros", criando um livro que gostaria de ler, que não te cansaria. Ir de acordo com sua intuição e conhecimento técnico é muito importante, e isso se desenvolve durante a pesquisa, por isso ler é importante (além de melhorar seu português e dar várias dicas de diagramação e paginação para impressão e/ou leitura digital). Anote frases que gostou e reflita em como foram construídas, e trechos que achar interessantes. Anote tudo!


Imagem: recreationalreading.blogspot.com


escreva sobre o que sabe (e aprenda sobre o que não sabe)

Não se limite apenas à pesquisa literária. Escreva sobre o que sabe e, se não sabe, pesquise sobre os locais usados, passado histórico, observe o comportamento das pessoas, analise, julgue, entreviste moradores de outros países pelo Facebook (se for o caso) e assim vai. Dessa maneira, você transforma uma simples ilusão do cérebro em algo possível, palpável e com fundo concreto, debatível. A internet é sua melhor amiga, além da própria rotina. 

E não tem dinheiro para comprar os milhões de livros? Pode comprar em promoções maravilhosas (ou conseguir de graça) pelo Kindle para computador, smartphone ou tablet (como falei aqui) ou baixar ilegalmente (se gostar da obra, compre para dar suporte ao autor, tá?). E que comece suas pesquisas!

Conheça meu livro!

PARTE 1 | PARTE 2 | PARTE 3 | PARTE 4

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos