Carregando...



Como fazer amigos depois dos 20 anos

como+fazer+amigos

No colégio éramos obrigados a conviver com diferentes pessoas durante o dia. Isso facilitava o nascimento de amizades (e inimizades). Depois dos 20, na faculdade, as coisas são diferentes: todo mundo têm amigos e as grades bagunçadas não apoiam relacionamentos. Se hoje você se sente só e numa noite de sexta não tem pra quem ligar, esse post é seu.



É natural chegar a certo ponto da vida e perceber que a gente tá sozinho. Antigos amigos não nos acompanharam no mesmo curso da faculdade, seguiram as próprias vidas, começaram a namorar, e os gostos de vocês mudaram. E por mais que existam mil pessoas ao redor, você não tem a menor intimidade com ninguém. Esse guia é comprido, mas vai te dar uma perspectiva para testar e, quem sabe, melhorar essa situação.


Imagem: familyanalog.com


quem é você e onde você está?

Você sabe quem você é? Essa solidão é porque você não consegue se aproveitar ou realmente não tem com quem conversar? Você é agradável? O ambiente é propício para encontrar pessoas que compartilham do mesmo gosto? Como você age com as pessoas na faculdade? E no trabalho? É muito tímido? Desconfiado? Vários questionamentos necessários para entender qual é o motivo de você estar "sem amigos" no momento. Timidez é a maior e pior causa, assim como sensação de isolamento e vitimismo.

Ser antipático ou muito desconfiado, além de piorar a timidez, te torna amargo. E ninguém quer estar perto de gente amarga. Só que se for extrovertido ou brincalhão em excesso, vai virar aquele palhação que as pessoas vão evitar em eventos mais intimistas, te chamando só para festas que precisam dessa alegria e espontaneidade. Por isso, seja quem você é, mas meça como expõe isso. Respeite o espaço dos outros, mas não deixe de se convidar para uma conversa (desde que tenha algo para acrescentar).


Imagem: elapartiu.wordpress.com


superando a timidez

Sei que ser julgado pelas pessoas é apavorante! Mas fica difícil iniciar diálogos se travar, se prender a conversa dentro de si por medo de falar besteira ou parecer patetão. Na real, a primeira solução para esse problema é parar de tentar ser o que você acha que as pessoas gostam. Sendo o que as pessoas esperam (deixando de falar quando quer, falando de assuntos que não domina etc) você não vai arranjar amigos. Vai arranjar companhias momentâneas, porque é cansativo ser o que a gente não é.

O ideal é agir como você age consigo. Gosta de falar de quadrinhos? Fale de quadrinhos, use como exemplo para conversas mais sociais. Mas saiba falar de tudo, porque é bom saber o que acontece no mundo (não só para impressionar, mas para se situar numa realidade). Fale! Mostre opinião, tenha base. Não vá para um canto e espere alguém sentir pena de você. Não se esconda por causa da timidez. Você é uma pessoa única, incrível, e o mundo precisa saber disso. Você precisa saber disso.


Imagem: brokenlightcollective.wordpress.com


como fazer novos amigos?

Uma das formas mais "naturais" de conhecer gente e, com sorte, descobrir potenciais amigos, é conhecendo os amigos dos seus amigos. O que vai ser um problema se você não tiver mesmo amigo nenhum. Se vive numa cidade parada, com gente que não tem nada a ver com quem você é, complica. Mas festas temáticas estão acontecendo quase que no Brasil todo e, desculpa, se quer conhecer gente, precisa sair de casa.

Ou seja, se for muito caseiro, a melhor solução é a internet e os grupos de interesse em comum, como de séries, filmes, atividades e tal. Só que pessoas legais, a gente sabe, moram longe. Se quer conhecer gente incrível do seu bairro ou cidade, precisa abusar de autoexpressão (use camisas das coisas que você gosta, exponha seu estilo através das roupas, ponha uma capa de Facebook que diga muito sobre você) e de cara de pau (por isso timidez não pode existir na vida de ninguém em excesso) para começar conversas com gente que gosta do que você curte. E elas chegarão em você se seus gostos ficarem claros.

Se vive numa cidade como o Rio de Janeiro, saia de casa! Instale apps de encontros, conheça pessoas com conversas encorpadas, não deixe o comum e o superficial se apossarem! Porque essas pessoas te levarão às outras pessoas, que te levarão às outras pessoas! Rede social é uma rede mesmo, precisa ir ligando os pontos e entender que nem todo amigo serve pra tudo...


Imagem: curbsidefashion.blogspot.com


esse amigo serve pra isso, aquele serve praquilo

Seja seletivo. Não é pecado compreender e dividir seus amigos por situações de interesse. Tipo, existe aquele amigo que só serve pra ir à balada, que se você ligar ele vai topar. Outro prefere beber em bares. Outro na rua. E aquele outro prefere ficar em casa vendo filme. E tem aquele raro, o melhor amigo, que é o coringa: topa tudo contigo e você com ele. Se você compreender isso, vai sofrer menos de frustração. Por quê?

Porque um relacionamento desse tipo leva anos para se desenvolver (geralmente na época do colégio). Só que a vida tem essas pirações e, do nada, te traz alguém que tá procurando a mesma coisa que você. Vocês se unem e pronto, não se descolam. Ninguém sabe quando vai acontecer mas, de novo, não vai ser com você sentado no sofá esperando o Batman entrar pela janela. Levanta e vai pra rua!


Imagem: whypickonme.info


Mas não conheço ninguém! 

Você não é uma múmia, certo? No mínimo você estuda, trabalha ou faz alguma coisa fora de casa. Sabendo que pode dividir os amigos em categorias, não se leve tão a sério. Não ache que só precisa estar cercado de gente que confia 100%. Se aproxime daqueles nerds ou bêbados do trabalho, dos que podem te levar às pessoas que você procura para inserir na rotina. Não pense neles como definitivos, mas como pontes. Dê bom dia, mude sua atitude introspectiva e julgue menos.

Mas se você não trabalha ou estuda e passa o dia inteiro dentro de casa, precisa saber o que você busca: amigos pra leitura? Gente para ir ao cinema? Procure grupos de leitura no Facebook ou convide ao cinema aquele colega do colégio que você apreciava mas não tinha amizade. Redescobrir pessoas é bom. Não quer internet? Vá para uma livraria, converse com alguém na fila do cinema como quem não quer nada... Quem sabe?


Imagem: afrolx.wordpress.com


Se você está pelos 20 anos, sabe que a galera tá indo pras baladinhas e festas indie da vida e que o melhor rumo pra encontrar gente interessante é esse. O que não significa que todo mundo em baladinha é chato ou tem cabeça de cocô, pelo contrário. Tem muita gente interessante por lá. Alguns virando shots de tequila, outros agarrados ao celular, mas estão lá. Grande parte deles se sente só, por isso termina na muvuca. Parece que o som abafa a solidão.

Já tive sorte de encontrar gente parecida comigo na balada. Gente tão parecida que acabei me envolvendo romanticamente (o que destruiu tudo). A vida não é feita de regrinhas, você precisa se permitir ser surpreendido, experimentar, se conhecer por lados diferentes. Só assim a gente conhece pessoas diferentes.


Imagem: velospace.org


seja menos negativo e mais empático

Você não tem a razão sempre, então saiba dar o braço a torcer. Não seja resmungão, não encha o saco dos outros com milhões de problemas se perceber que a pessoa não está com o menor saco, e saiba se colocar no lugar do outro. Isso se chama empatia e mostra que você se preocupa. Pessoas negativas repelem gente. Se você tá sozinho hoje, reflita se não é porque ninguém te aguenta. A gente está tão acostumado a falar dos problemas que não percebemos que os outros estão ficando seriamente irritados com isso.

Quanto mais gentil você for, quanto mais simpatia distribuir cumprimentando as pessoas, dando palavras de força, elogiando (quando sincero) e se mostrando presente, mais essas pessoas vão lembrar de você. Não exagere no álcool, não perca o controle, não xingue, não bata. Ninguém vai te chamar pra uma festa ou jantar se souberem que você é um narcisista viciado em falar dos próprios problemas e espancar os outros.


Imagem: elapartiu.wordpress.com


e pra fechar

Ter amigos é diferente de ter companhia. É um pouco mais. Companhias funcionam em momentos específicos, mas amigos conseguem preencher uma lacuna natural da formação emocional humana. Somos animais sociáveis, não há como argumentar. Poucos são os que preferem solidão acima de tudo, mas é quase totalidade de que, em algum momento, haverá a falta de alguém com quem contar.

Amigos não só escutam e ajudam a resolver problemas, mas apresentam novas soluções, músicas e dividem felicidade contigo. E ter com quem dividir nossos ganhos é tão compensador quanto. É bom comentar sobre o sabor do sorvete e é bom chorar sobre o namorado que te trocou. São os irmãos que nem sempre estarão em nossas vidas, mas terão um espaço significativo no nosso aprendizado.


Imagem: balktick.org

Por isso, se seu objetivo é conhecer novas pessoas e novos amigos, se torne quem você gostaria de conhecer. Não tem nada a ver com O Segredo, mas com afinidades. Se você se reconhecer como alguém incrível, as pessoas vão inalar sua confiança, também vão te achar incrível. Se vive triste, especialmente por não ter ninguém, ninguém vai entrar pela janela pra te dar colo.

Mas ter amigos não significa que seus problemas serão curados da noite para o dia. Só que fica mais fácil passar pelos problemas da rotina se a gente souber que tem alguém pronto para dizer: "você consegue". Ou um "para de ser covarde!". E não importa se é alguém que te conhece desde os 8 anos, se você cruzou na balada ou se são seus pais: é gente que te ama. E que você ama de volta e adora estar junto.


FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos