Carregando...



Do que você se arrepende?


Triste admitir, mas não estamos ficando mais jovens. O amadurecimento chega contra a vontade, enfia responsabilidades na guela e a gente engasga. Nos tornarmos cínicos. Às vezes, escrotos. Julgamos nossas próprias vontades e nos limitamos por medo de julgamento, de magoar, de sermos quem somos. Se você soubesse que morreria em cinco horas, poderia dizer que viveu a vida que quis?

É uma pergunta que me faço constantemente. Quando me coloco numa situação drástica como "se eu morrer daqui a pouco, do que me arrependeria de não ter feito?", analiso atitudes: quando deixei de pedir desculpas por orgulho, por não ter comido as toneladas de chocolate que ganhei na Páscoa por medo de ficar com espinhas, quando fui seco com minha mãe por passar tempo demais escrevendo etc. 

Imagem: gabyjphotography.com

A verdade é que nascemos pra morrer. Nascemos com data de validade que passa a expirar quando inspiramos pela primeira vez. Vejo amigos com medo de saírem do armário para a família, por medo de "decepcionarem". Vejo amigas deixando de usar aquele vestido que amam por medo do que as outras amigas vão dizer. Ouço um colega reclamar dos pais, mas não toma coragem pra sair de casa, mesmo podendo. O que estamos esperando? Que autossabotagem é essa de desperdiçarmos tempo esperando para admitirmos pro mundo que somos únicos e queremos respeito? Por que a gente não se respeita?

Não tô falando só de sexualidade ou da cor do cabelo. Tô falando da covardia e preguiça de nos olharmos no espelho e pegarmos as rédeas da nossa realidade. Se nada tá funcionando, a culpa não é de ninguém. É nossa. Você tá aí, com saúde, com acesso a internet, tem liberdade pra sair, pra não voltar, e se esconde. E mesmo se não estivesse com nada disso, qual é sua desculpa? Tem medo se vão gostar ou não de você, tenta agradar para se sentir incluído, porque é ruim se sentir sozinho no mundo. Sem tribo. Mas que tribo é essa onde todo mundo usa máscara de outra tribo? 

Imagem: life.colerise.com

Digo que prefiro morrer sozinho a estar ao lado de quem não aceita quem eu sou. Tem anos que não me arrumo para um encontro. Prefiro que a pessoa se apaixone por minhas ideias e meu comportamento esquisito do que uma beleza que vai sair no banho, em roupas que servirão de pijamas em alguns anos. Não amo família só porque é família. Amo gente que me ama. E só posso amar quem conheço, quem me dá a oportunidade de conhecer.

A humanidade se perde quando passa a dizer "odeio" mais facilmente do que "respeito". "Gosto". E a gente "odeio" muito em nós mesmos! "Odeio meu cabelo", "odeio meu jeito de falar", "odeio que minha mãe se importa comigo", "odeio que ela não se importa". A gente vai morrer velho e feio. Se não velho, feio do mesmo jeito. Seu corpo vai inchar e ficar roxo, e depois sua pele vai romper em líquidos e gases fedorentos. Se você fosse morrer em cinco horas, do que se arrependeria de não ter feito?

Pra inspirar, dê uma olhada nesse link do Brasil Post. Se não sentir nenhuma vontade de se admitir pra você mesmo, não sei mais como ajudar.




FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos