Carregando...



Libere seus demônios: razões para fazer merda vez ou outra

Faça a coisa errada!
Noites enfiando o pé no álcool, pegando carona com estranhos, fumando e agindo feito bad boy (sem fazer mal a ninguém) já eram indicadores de que eu tava me entorpecendo por não conseguir lidar com problemas. Decidi, quando sobrevivi à minha tentativa de suicídio, cortar todas as "noites ruins". Saiba por que foi um péssimo plano...



O QUE VOCÊ NÃO ASSUME, TE CONSOME
Quando voltei à vida, decidi que não beberia ou sairia com gente "errada" pra fazer merdas. Porém, existem três fatores que nos levam a querer fazer essas coisas "erradas" e, antes de tomar uma decisão tão radical como cortar algumas de minhas fontes de entretenimento físico, precisei avaliar de onde essas vontades obscuras surgiam:

- vício químico
É quando seu corpo se torna dependente de alguma substância, como no caso extremo de vício em drogas. Quando o vício é químico, mesmo que sua Vontade (com "V" maiúsculo, seu domínio sobre si mesmo) diga não, seu organismo dirá sim.

peter+pan+fumando+rock

- vício psicológico
São tiques, vícios e manias que cultivamos por osmose, acreditando que não podemos viver sem. Porém, quimicamente, seu corpo não está preso como no vício químico. Nesse caso, são os que fumam maconha todos os dias (pelo vício na sensação, não na droga), os que repetem movimentos em números determinados (como o Sheldon da série The Big Bang Theory), nunca deixam a sola do chinelo virada pra cima (senão a mãe morre), ou achando que beber é a única maneira de se divertir com amigos.


- entretenimento esporádico
É quando você fuma, bebe, joga videogame ou faz merdas sem periodicidade certa, aleatoriamente. Seu corpo não precisa daquilo para ficar entorpecido o tempo todo, mas possui relâmpagos de desejo (que nem grávida). É a maneira mais saudável de aproveitar momentos, pois é sua Vontade sobre vícios e manias adquiridos por seu organismo e emocional.

festa+juventude+drogas

DOMÍNIO DA VONTADE
Vontade (com "V" maiúsculo) é a percepção de si como existência única e dona de todas as próprias atitudes. Uma pessoa viciada é subjugada pelo vício, enquanto uma pessoa de Vontade não se permite viciar (nem consegue), controlando o que ingere sem apego emocional ou físico. Quem domina a Vontade, pode manipular os próprios sentimentos, escolhendo quando superar um relacionamento ruim, se disciplinando numa dieta, ou vivendo bem sem coisas que outros julgam como altamente necessárias. 

drunk+youth

CONCLUSÃO
Crio minha Vontade e adestro as que "aparecem". Como viver aventuras por entretenimento (e poesia) faz parte de minha natureza, cortá-las seria caminhar contra minha Vontade por conceitos sociais/morais que não funcionam para todos. Dessa maneira, em vez desse corte acabar com as vontades, ele as intensificaria: um dia elas explodiriam e eu faria tudo de uma vez, em excesso. O truque foi libertar meus demônios vez ou outra, aos pouquinhos, para prendê-los de novo quando necessário.

Converse com seu corpo. Esteja ciente do que precisa e do que tem de maneirar. Se no meio da dieta quiser comer pizza, se depois de dias trabalhando você quiser apimentar as coisas, negocie consigo até onde pode avançar e, especialmente, quando frear. O segredo é equilíbrio, e não há como existir luz sem sombra. Assuma-a.


LEITURA ADICIONAL
Autoaceitação

Você controla seus demônios?
Ou eles controlam você? Comente!

FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos