Carregando...



Como assumir sexualidade para os pais

Veja mais guias
Como e quando sair do armário?
Discípulos de Peter Pan - DDPP - Como assumir sexualidade para os pais

Não quero ser pretensioso com esse guia. Não conheço seus pais, não tenho como adivinhar como reagirão quando souberem que você é gay e estou longe de ser o dono da verdade. O que gostaria de compartilhar aqui é minha experiência como observador, vendo por erros, acertos e acasos as diferentes histórias de meus amigos, colegas, discípulos, e minha própria na jornada para fora do armário de Nárnia, a caminho da Terra do Nunca.

NINGUÉM CONHECE SEUS PAIS COMO VOCÊ
Antes de pensar em contar, perceba que você conhece seus pais por toda sua vida! Dá pra predizer quais reações eles tendem a ter. Alguns pais parecem parceiros e apoiam a escolha de se assumir quando é o filho dos outros que o faz, mas viram monstros quando os próprios filhos saem do armário — especialmente quando não "parecem" homossexuais. Certifique-se de filtrar direitinho o comportamento deles, pois com pais homofóbicos ou violentos seria melhor você guardar segredo, esperar alguns anos e morar sozinho, pois não precisaria dar satisfações pra ninguém. É uma péssima realidade, mas é melhor do que tomar porrada ou ser expulso de casa aos 16 anos.

E ELES CONHECEM VOCÊ
Você acha que tá enganando teus pais? Sério, 80% deles sabem que o filho é gay desde novinho, homem ou mulher. É que nem Big Brother: quando você vive muito tempo com alguém, não dá pra manter todas as máscaras. Numa escorregadinha aqui e outra ali, eles juntam os cacos e formam a realidade: "meu filho é gay". Quando isso acontece, ficam em silêncio esperando o filho contar quando se sentir preparado ou usam desse silêncio para escolherem ficar cegos, rezando para que o filho jamais toque no assunto — pois enquanto nenhuma prova for dada, tudo não passará de suposições muito erradas.

NÃO CONTE POR CULPA
Ao ficar com pessoas do mesmo sexo que o seu, você não está fazendo nada de errado! Mesmo que igrejas, religiões e pessoas desprovidas de sensibilidade digam isso, querer amar outros seres humanos não é errado. Não se sinta culpado querendo contar logo pros pais só para se livrar desse peso. Conte se você quiser estabelecer uma relação de confiança e parceria, levando o relacionamento de vocês a um nível mais próximo da paz em família.

NÃO ENROLE
Na hora de contar, saiba preparar o terreno, mas não enrole. Não conte a torto e a direito, muito menos bêbado, chapado ou num momento de raiva. Prepare pensamentos semanas antes, saiba o que dizer, o porquê de estar contando e como gostaria que eles percebessem que nada muda por causa da sua sexualidade. Você continua sendo o filho com o mesmo caráter e personalidade. Só prefere beijar pessoas do mesmo sexo... Seria a mesma coisa ao contar que você não deixa de ser você só porque não gosta de pizza enquanto todo mundo ama — aí você seria apenas estranho, mas eu te amo do mesmo jeito.

SE NÃO DER PRA CONTAR, NÃO CONTE
Mas não use essa saída como desculpa para nunca contar aos seus pais. Se eles não forem do tipo que vão te expulsar de casa ou arrancar sua cabeça, compartilhe sua intimidade com eles. Pais não precisam ser pais por obrigação, então não se sinta obrigado a ser apenas um filho, separando-os da sua rotina com uma barreira de vergonha. Mostre que está disposto a confiar e permitir que confiem em você. Sejam amigos antes de familiares por obrigação.

DÊ TEMPO AO TEMPO
Não cobre por respostas breves ou que as coisas "voltem ao normal" dois dias depois de você ter se assumido para eles. Não chame amigos do mesmo sexo pro seu quarto — muito menos homossexuais, especialmente os que não se preocupam em esconder (e que estão certos) — até eles se acostumarem. Mesmo que suspeitassem, ouvir as palavras da sua boca muda muito a realidade de pessoas que se consideram no controle da vida. Respeite pensamentos — mesmo que não concorde com eles — e evite brigas com toda a força que puder. Mostre que você continua sendo um ser humano com personalidade própria (assim espero) e que os compreende da mesma maneira que espera ser compreendido.

ESTABELEÇA HONESTIDADE
A primeira coisa que eles vão pensar é que você tá pegando seu melhor amigo do mesmo sexo! Negue, se for o caso, e ofereça a seguinte proposta: "no dia que eu estiver me relacionando com alguém, prometo contar pra vocês". Claro que você só deve propor algo assim logo depois de se assumir se seus pais forem cabeça aberta! Mantendo essa honestidade, eles não vão surtar de você levar amigos de verdade para dormir em casa, pois saberão que se esses amigos fossem namoradinhos, você contaria.

CONTEI E DEU MERDA
Se você contou e seus pais surtaram, te colocaram de castigo ou ameaçaram tirar sua vida, não tem muito o que você possa fazer a não ser sair de casa ou jogar o game deles até a poeira abaixar. Quando gritarem contigo, não grite de volta. Quando abusarem do poder, tente sair pela tangente, pois o silêncio é a melhor arma que você terá. Eles nunca esquecerão que você é gay, mas vai chegar um ponto em que essa verdade será inevitável a eles, que vão se acostumar mesmo sem jamais concordar. Isso vai dar tempo até você se tornar independente e deixar essas pessoas, que não aceitam uma parte da sua intimidade, mais afastados.

SE SEUS PAIS FOREM TRANQUILOS...
Apresente seus amigos, conte sobre seus casos e fortaleça a amizade que vocês desenvolveram. Pessoas com pais assim são sortudas e precisam agradecer por isso todos os dias! Evite tratá-los com indiferença ou apatia, não seja um mané e os ame excessivamente! Digo isso porque fui um babaca com meus pais durante muito tempo e só hoje percebo como nasci com a bunda virada pra lua — por outro lado, não tenho um real na carteira... A natureza precisa de equilíbrio, certo?

Pra bem ou pra mal, boa sorte!
Nunca é demais!

Já passou por isso? Compartilhe suas dicas e ajude outros discípulos!

Saindo do armário - Vlog Sem HGuia de como ganhar confiança dos paisGuia de como melhorar relacionamento com os paisConheci no Grindr: Namorado #3
FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos