Carregando...



Como sofrer menos com mudanças: 10 dicas

Discípulos de Peter Pan - DDPP - Como sofrer menos com mudanças: 10 dicas

A vida está mudando o tempo inteiro! Fazemos planos para oito anos no futuro e o caminho se desorganiza por inteiro quando algo fora dos planos acontece: falecimentos, términos, desandamento da carreira e qualquer coisa que nos mostre que mesmo que estejamos no controle sobre nós, o universo possui regras e eventos aleatórios — o que faz com que nos sintamos totalmente inúteis. Trouxe 10 dicas para sofrer menos com mudanças repentinas e, quem sabe, aproveitar até as piores situações!

1. Mudanças acontecerão, você querendo ou não!
Afinal, você não pode controlar o clima, outras pessoas ou como o planeta funciona! Quando uma mudança acontecer você terá duas opções: choramingar ou tirar as melhores lições e, quem sabe, apreciar o que virá de novo na sua rotina. Mesmo dos piores momentos, como perder alguém amado, aprender a viver só ou sair de um emprego, há algo incrível ao virar a esquina.

Para ver essa coisa incrível, você precisa querer olhar para a frente, colher o que consegue encontrar de positivo. Se escolher resmungar, a coisa mais maravilhosa pode voar na sua frente, mas você não vai dar a mínima porque está pedindo por algo que já passou — e não tem conserto. Aceite e siga em frente.

2. Se torne um explorador!
Sabe o espírito aventureiro no melhor estilo Indiana Jones? Se inspire para ansiar por cada novidade de novas fases só pela curiosidade de ver o que acontecerá! Tantas coisas novas vão aparecer! Algumas negativas, outras positivas, mas são novas e você poderá explorar todas elas e crescer como um ser humano cheio de histórias para contar! Especialmente se trabalhar com arte, há muito o que observar nas mudanças.

3. É uma dádiva participar das fases da vida!
Participar de cada mudança e assistir o mundo se transformar é uma dádiva, pois significa que você está vivo! Você faz parte de um momento único do universo, que nunca será igual! Você é parte efetiva da história mundial e precisa lidar com a sua própria, acontecendo em efeito dominó diante de todas as outras pessoas! Se isso não despertar seu espírito explorador, não sei o que despertará...

4. Dinamismo pode ser bom!
Sou uma pessoa equilibrada: adoro as coisas do jeito que estão, mas sou curioso o suficiente para me empolgar com mudanças, pois amo dinamismo! Sabe quando as pessoas falam devagar e você quer logo saber o que querem dizer? Com a vida é assim: quero agilidade, novidade, sentir tesão por algo incrível ou me sentir forte ao batalhar para sair de uma fossa.

A ideia de minha mãe morrer — falei dela nos posts "Nonô, minha mãe" e "Minha mãe" — me assombrou por anos, pois achei que eu morreria junto. Quando a constatação de que todo mundo morre e ela não é exceção apareceu na minha mente, não penso nisso com tristeza. Claro que ficarei triste e só a perdendo vou saber como doerá, mas será uma nova fase na minha vida. Um momento que terei para redescobrir minha identidade, morar sozinho, cuidar de responsabilidades que nunca precisei e por aí vai. É uma maneira positiva de olhar uma mudança assustadoramente negativa.

5. Estagnação é terrível!
Meu pai não gosta quando redecoro a casa e fica de mau humor até eu terminar e ele ver que as mudanças que fiz ficaram incríveis. Essa reação negativa a quaisquer mudanças é porque ele chegou numa idade mental em que a estagnação, mesmo negativa, o deixa confortável. O que é novo não é conhecido, e tudo que desconhecemos, tememos, agimos com agressividade e receio. Com estagnação não há evolução. Sem evolução, não vivemos — apenas sobrevivemos.

6. Pare de cobrar o mundo — e você mesmo — o tempo todo!
Você não pode controlar tudo, então respire, relaxe e leia o guia de "Como se cobrar menos", "Dolce far niente" e "5 dicas para quando você sentir que não é bom o suficiente". O que você puder fazer para mudar as situações, faça. Mas não se martirize pelo que não depende de sua simples vontade para se mexer!

7. Não se lamente pelo que perdeu!
Fique feliz pelo que você tem e pode alcançar a partir de agora! Dificuldades realmente parecem nos acorrentar, mas enquanto respirarmos, consciente de quem somos, poderemos virar o jogo e nos adaptarmos às novas regras! Aproveite e leia o artigo "Não chore porque acabou, sorria por ter acontecido". Vai te dar as energias necessárias.

8. A arte do desapego é magnífica!
Desapego não é frieza jogada a torto e a direito na cara das pessoas. É um sistema de defesa e aperfeiçoamento pessoal onde cortar o que faz mal não lhe causa nenhum tipo de incômodo. Você não precisa de um monte de objetos ou pessoas, não se torna viciado em nada nem ninguém e descobre o poder de escolher e discernir o que te faz bem e o que não faz. Com o desapego você não carrega peso nas costas, muito menos culpa. Deixa pra lá, já foi!

9. Você é o centro do seu universo!
Por mais que você não controle o mundo, seu universo particular é seu. Ele se estende do seu cérebro ao seu corpo, onde você pode criar fantasias — como a que falei no artigo "Se minha vida fosse como fotos do Tumblr" — e decidir como quer se sentir daqui em diante. Se percebendo como seu próprio deus, você não jogará a culpa nas mudanças ou em ninguém. Você se perceberá como a ignição de sua própria felicidade e da capacidade de ver coisas boas em tudo que acontece no cotidiano.

10. "Foda-se" é a maior frase de poder!
Como a arte do desapego, a arte de largar um bom "foda-se" mental para as coisas que você não pode mudar consegue transformar o humor. Um "foda-se" não é a mesma coisa que acomodação cega, que é aceitar tudo, até injustiças, sem fazer nenhum barulho. Um "foda-se" é para ser usado quando você já se estressou o suficiente, fez o que pôde e percebeu que não dá pra mudar nada! Foda-se, então. E vá viver a felicidade que você merece, pois você merece!

Lembre-se dessa frase clichê: "antes do nascer do sol, sempre vem a escuridão".
Siga em frente!

Você sofre muito com mudanças? Comente!

E se eu não der certo na vida?20 maneiras de ser alguém melhor5 dicas para quando você sentir que não é bom o suficiente Como se cobrar menos
FacebookYoutubeTwitterConheça o autor

Comente com o Facebook:

Últimos Artigos